Com o Marketing de Experiência Educacional, sua instituição de ensino pode encantar, conseguindo conquistar cada vez mais os seus potenciais e atuais alunos: descubra como!

Não é novidade que o cenário educacional, assim como tantos outros, está cada dia mais competitivo. Por isso, conquistar a confiança e lealdade de potenciais e atuais alunos, aumentando a captação e a permanência deles, é sempre desafiador.

Oferecer um ensino de qualidade e possuir uma boa infraestrutura não são mais suficientes para conseguir mais alunos e muito menos para mantê-los com você.

Nesse contexto, além de atender as expectativas dos seus alunos, cada vez mais é necessário superá-las e ir além do que é esperado. Para isso, é essencial encantá-los a ponto de que eles se tornem defensores da sua marca.

Mas, para conseguir isso, o passo decisivo está em desenvolver um relacionamento de excelência capaz de proporcionar momentos inesquecíveis e encantadores. 

Logo, se levarmos em consideração que todo relacionamento pode ser resumido em experiências (negativas ou positivas) investir no Marketing de Experiência torna-se fundamental. Ele baseia-se na criação de estratégias inteligentes a fim de fazer com que essas experiências sejam, realmente, memoráveis. 

E, então, que tal conhecer mais sobre esse tipo de Marketing?

O que é o Marketing de Experiência Educacional?

O Marketing de Experiência Educacional é uma prática que busca transformar todo o ciclo de compras educacionais em uma série de experiências positivas, incríveis e marcantes.

Logo, seu objetivo é criar um vínculo forte de pertencimento entre os potenciais e atuais alunos e a instituição. 

Esse Marketing evidenciou-se a partir de um conceito conhecido como Client-share. No caso das instituições de ensino, esse conceito visa analisar, cuidadosamente, cada potencial aluno a fim de entender quais fatores são considerados importantes para ele em cada etapa da Jornada de Compra Educacional

Para analisá-los, a primeira iniciativa é construir as personas da sua instituição de ensino. Através delas, você conhecerá as dores, características, desejos e necessidades mais relevantes dos seus potenciais alunos. 

De posse dessas preciosas informações, a próxima iniciativa deve ser entender como é realizada a tomada de decisão dessas personas.

Nesse momento, é essencial levar em consideração TODOS os fatores que podem (e vão) impactar nessa escolha.

Feito isso, toda a abordagem de comunicação no atendimento poderá ser moldada de forma a superar as expectativas, aumentando significadamente as chances desses interessados valorizarem a sua oferta. 

#DICA: para te ajudar na construção de suas próprias personas, construímos alguns exemplos para você, veja:

Exemplos de Personas por Instituição de Ensino - Rubeus

Mas como as experiências são percebidas?

Uma coisa é certa: a experiência pode ser percebida de diversas formas!

Como vimos, o ideal seria que todos os potenciais alunos recebessem um atendimento de qualidade capaz de gerar uma percepção positiva, encantando-os e facilitando o avanço de etapa no Funil de Captação de Alunos.

Mas, provavelmente, essa percepção positiva não será percebida por todos. Tendo em vista que a diferença de percepção varia de pessoa para pessoa. Além disso, ela pode variar de acordo com cada momento da Jornada de Compra ou, até mesmo, depois de concluí-la. 

Por exemplo, um potencial aluno ficou sabendo que as inscrições para o seu processo seletivo estavam abertas.

Assim, ao ligar para a sua instituição para saber mais informações, foi surpreendido pelo ótimo atendimento de um dos seus consultores. Isso porque ele solucionou todas as suas dúvidas rapidamente. 

Entretanto, após ser aprovado, vai novamente até a sua instituição para realizar a matrícula. Além de uma série de documentos que precisou providenciar às pressas, porque a instituição não o avisou, enviando um e-mail com a documentação, por exemplo, ele ficou bastante tempo esperando para ser atendido. E, ainda, foi informado que faltaram alguns documentos e, por isso, ele deveria retornar em um outro dia.

Certamente, após essa experiência, a percepção que ele tinha sobre a sua IE não será mais a mesma, concorda?

Nesse momento, você deve estar se perguntando o que é necessário para gerar esse sentimento positivo, não é mesmo? Para te ajudar, conheça os 3 pilares do processo de Marketing de Experiência direcionados à educação:

Componentes do Marketing de Experiência Educacional - Rubeus

Três pilares do Marketing de Experiência Educacional

  • Verdade

Tanto na vida pessoal quanto profissional, a confiança é um dos nossos alicerces principais. Por isso, na escolha da instituição de ensino pelo potencial aluno isso não poderia ser diferente. 

Portanto, é indispensável saber que a confiança só é construída se tiver como base a verdade, em todas as suas ações. 

Essa é uma premissa bastante importante e deve ser aplicada desde o Marketing de Conteúdo Educacional desenvolvido por sua equipe para atrair os potenciais alunos até o relacionamento de excelência.

Assim, é importante conscientizar todos os membros da sua instituição da importância de serem verdadeiros e transparentes em toda e qualquer relação desenvolvida.  

  • Vontade

A vontade de comprar ou, no caso, ser um dos seus alunos está intimamente associada à verdade transparecida por sua instituição de ensino. Sendo esta uma das bases para a tomada de decisão na escolha por você ou pela concorrência.

Aqui, destaca-se que a vontade dos seus potenciais alunos pode ser instigada por meio da entrega de experiências positivas. 

  • Valor

Por fim, é importante evidenciar que proporcionar boas experiências é a melhor forma de agregar valor ao que é oferecido por sua IE, tanto dentro quanto fora da sala de aula. Esse valor é o resultado de todas as interações e percepções dos potenciais alunos aliadas à identificação com a sua instituição. 

Conheça 5 tipos de experiências que a sua instituição pode explorar

  • Sentidos 

Nessa experiência, sua equipe de relacionamento deve estimular, ao máximo, os cinco sentidos humanos (visão, audição, olfato, paladar e tato).

Um bom exemplo de Marketing de Experiência que utiliza os sentidos é o famoso “Plim Plim” da Globo. Ele é tocado, por exemplo, quando um filme retorna do comercial.

Esse tipo de identidade desperta o sentido da audição e provoca uma identificação única com a marca. Por isso, que tal começar a pensar em como você pode explorar um dos sentidos a favor das experiências que a sua instituição de ensino pode proporcionar? 

  • Sentimento 

Vimos que experiências são percepções.

Essas percepções são responsáveis pelo sentimento que cada potencial e atual aluno possui a respeito da sua IE.

Por isso, ao trabalhar com a experiência de sentimento, sua equipe deve ser capaz de desenvolver bons sentimentos. E, além disso, deve saber lidar com os sentimentos ruins, como a decepção ou o descontentamento. 

Uma dica é buscar personalizar todo e qualquer atendimento. Você pode fazer isso demonstrando que o conhece. Tratá-lo pelo nome pode ser uma prática simples, mas de muito valor

Outra forma de fazer isso é através do Marketing de Conteúdo.

Nesse caso, você pode usar o seu blog para escrever sobre assuntos que ajudem a solucionar possíveis dúvidas. Criando, assim, um sentimento de atenção e cuidado para com os potenciais e atuais alunos.

  • Pensamento

Já o pensamento consiste em criar experiências por meio da quebra de paradigmas. Isso representa a importância da sua instituição inovar para sair do padrão, ou seja, fugir do óbvio. Para isso, demonstre que você apoia a diversidade de opiniões e considera as várias perspectivas de cada pessoa.

Incentivar o pensamento diferente e disruptivo bem como a disposição para solucionar problemas que geram discussões são bons exemplos que a sua instituição pode adotar no dia a dia.

  • Ação

Incentivar a ação, a adoção de comportamentos mais ativos e que fujam do modelo automático “da coisa”. Ajudá-los a enfrentar medos e realidades até então desconhecidos pode ser uma boa forma de praticar o Marketing de Experiência Educacional. 

Um bom exemplo dessa ação é a sua instituição de ensino agir ativamente. Ela pode fazer isso ao ajudar, por exemplo, alguns dos seus alunos em problemas pessoais ou, até mesmo, a explorarem a sua autoconfiança.

  •  Identificação

Por fim, mas não menos importante para o Marketing de Experiência Educacional: a identificação.

Ela abre a comunicação e facilita tanto a percepção de valor quanto o compartilhamento transparente do feedback de seus alunos.

Se você conseguir fazer isso, boa parte do bom relacionamento está garantida. Mas, isso não é fácil. É necessário dedicação e esforço de todos os setores da sua IE a fim de engajar, interagir e criar um sentimento natural de pertencimento.  

Suas chances serão maiores se você conhecer todas as características e necessidades dos seus potenciais alunos, tendo em vista que poderá atuar pontualmente sobre elas.

Outra dica é praticar, em conjunto com as ações de Marketing de Experiência Educacional, uma poderosa técnica conhecida como Rapport. Esta, por sua vez, divide-se em outras duas técnicas: a reciprocidade e o espelhamento. 

Através dela, sua instituição conseguirá criar uma afinidade e sintonia com os seus potenciais e atuais alunos a ponto de relacionarem-se de uma forma cada vez mais agradável. Construindo, assim, um relacionamento encantador.

Para isso, sua IE precisa demonstrar interesse em ouvir e ajudá-los (reciprocidade). Além de realizar um atendimento personalizado a eles, com base em suas características, com o objetivo de que identifiquem-se e agreguem valor por meio do espelhamento. 

2 ações potencializadoras do Marketing de Experiência para educação

Agora que você conhece a importância de um bom Marketing de Experiência Educacional, chegou a hora de conhecer um conjunto de ações que podem potencializá-lo e melhorar o desempenho da sua instituição de ensino, confira:

  • Explore, ao máximo, informações estratégicas 

Para conseguir impactar, positivamente, a percepção dos seus potenciais alunos e o modo como eles percebem e visualizam a sua instituição, você pode usar as informações consolidadas em seu sistema de gestão de relacionamento com o aluno. 

Com a Plataforma Rubeus, por exemplo, você pode criar uma experiência de excelência para o seu potencial e atual aluno. Mas como isso é possível?

Através da análise dessa base de informações, você consegue entender as necessidades e as principais dificuldades de um potencial aluno. E, com isso, poderá antecipar-se, resolvendo o seu problema e oferecendo, assim, uma experiência super positiva. 

  • Mostre o valor do seu serviço

Identificar e potencializar seus diferenciais, atribuindo um alto valor ao serviço educacional oferecido por sua instituição também é uma importante ação. Fazendo todo o sentido quando o assunto é oferecer boas experiências aos potenciais e atuais alunos. 

Com isso, você consegue demonstrar qualidade e preocupação em oferecer boas experiências durante as etapas da Jornada de Compra. 

Para que a sua instituição consiga identificar, potencializar e utilizar esses diferenciais para obter resultados, você pode utilizar a Análise SWOT Educacional. Essa ferramenta de análise permite que você identifique as Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Oportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças) da sua instituição de ensino. Contribuindo, assim, para a definição de estratégias de curto e longo prazo.

Para te ajudar, preparamos um blog post com dicas valiosas. Para acessá-lo, clique aqui ou na imagem abaixo:

Análise SWOT Educacional - Rubeus

O Marketing de Experiência Educacional na prática

Imagine que a Alice acaba de concluir o ensino médio, mas ainda está com dúvida se ingressa no ensino superior pelo alto custo e o tempo de duração desse investimento. Ela sabe que conseguir um emprego sem experiência e qualificação é cada vez mais difícil. 

Conversando com a sua prima que formou-se em sua IE há 1 ano, descobriu que ela só conseguiu emprego porque teve um ensino de qualidade aliado à prática. Além disso, ela elogiou muito o corpo docente e a instituição como um todo. Assim, Alice decide ligar para a instituição que sua prima foi aluna para saber mais sobre os cursos, valores da mensalidade e possíveis bolsas oferecidas.

Ao atendê-la, o consultor respondeu todas as suas perguntas atenciosamente e, ainda, a ajudou a decidir-se entre alguns cursos. Para ajudá-la a resolver, ele prontificou-se a enviar um e-mail com informações sobre os dois cursos que ela mais se interessou e que mais tinham aderência com o seu perfil. 

Alice recebeu o e-mail em menos de uma hora e logo decidiu fazer Engenharia Civil. Pois ela tinha uma grande paixão por desenhar e facilidade com os números. Por isso, fez imediatamente a sua inscrição para o vestibular da sua instituição.

Viu como a experiência fez toda a diferença?

A prima da Alice teve uma boa experiência com a sua IE e compartilhou com ela.

Por sua vez, Alice também teve uma percepção positiva ao receber um relacionamento de qualidade, oferecendo uma experiência a ela que a encantou e, por isso, inscreveu-se no processo seletivo da instituição.

Agora, imagina se a prima da Alice tivesse tido uma experiência negativa.

Certamente, a Alice nem teria se interessado por sua instituição logo no início sem sequer ter tido qualquer experiência. Tampouco se a Alice tivesse tido uma experiência negativa quando contactou a instituição. Afinal, sua indecisão em conjunto com a insegurança de um mau atendimento fatalmente colocariam tudo a perder.

Conclusão

Como vimos, é visível a importância em proporcionar experiências incríveis aos potenciais e atuais alunos. Isso porque esse tipo de experiência é capaz de conquistar a confiança, influenciando na divulgação espontânea da sua instituição. Potencializando, com isso, a sua captação e permanência de alunos.

Logo, investir em boas práticas de Marketing de Experiência Educacional é uma excelente forma de melhorar os resultados da sua instituição. Mas, para proporcionar esse tipo de experiência, é importante explorar cinco fatores, a saber: sentido, sentimento, pensamento, ação e identificação. 

Além disso, também é importante estarmos atentos aos 3 V’s do Marketing de Experiência: Verdade, Vontade e Valor. Explorar, ao máximo, informações estratégicas a fim de conhecer as necessidades do seu potencial aluno e antecipar-se para saná-las assim como sempre mostrar o valor do seu serviço são ações capazes de potencializar a sua estratégia de Marketing de Experiência.

Agora, queremos saber: sua instituição utiliza o Marketing de Experiência Educacional? Conte-nos a sua experiência! 

Receba dicas de captação e retenção de alunos!

Receba quinzenalmente dicas, ideias e inspirações sobre como captar e reter alunos de forma sustentável.

Tenha acesso a ferramentas, processos e boas práticas para tornar sua instituição de ensino referência no mercado educacional.