As Chamadas para Ação, quando bem estruturadas, podem ser a chave para despertar o gatilho de compra do seu potencial aluno. Tendo em vista a relevância dessa prática para a sua instituição de ensino, preparamos este passo a passo para te ajudar a potencializar os resultados do website, redes sociais e campanhas de e-mail da sua IE. Confira!

Tempo estimado de leitura: de 12 a 15 minutos

Hoje é dia de conhecer mais sobre como os CTA’s podem te ajudar a converter mais. Mas, antes de começarmos, confira os principais pontos abordados neste conteúdo:

  1. Panorama inicial
  2. O que são Chamadas para Ação?
  3. A importância de estruturar poderosas Chamadas para Ação e como elas podem aumentar a conversão de alunos da sua IE
  4. Chamadas para Ação: elementos essenciais
  5. Chamadas para Ação na prática: exemplos para você se inspirar
  6. 3 dicas valiosas para estruturar Chamadas para Ação que convertem
  7. Conclusão

1. Panorama inicial

Você concorda comigo que conseguir prender a atenção dos prospects é uma tarefa cada vez mais difícil? Isso porque, com o imediatismo e a quantidade de informação disponibilizada, as pessoas estão cada vez mais seletivas. Resultado? Muito conteúdo é simplesmente ignorado. 

Se é tão difícil assim, o que sua instituição de ensino pode fazer para despertar o interesse das suas personas? Acredito que a resposta mais estratégica, neste momento, é criar condições realmente irresistíveis, daquelas capazes de incentivar o lead à realização de alguma ação desejada.

Para fazer isso, além da definição do perfil dos seus leads e da utilização de landing pages em seu website ou blog, é fundamental também investir em poderosas Chamadas para Ação.

Não sabe o que é isso ou precisa se aprofundar nesse assunto? Então boa leitura! 

2. O que são Chamadas para Ação? 

Provavelmente, você já viu e clicou em um “Saiba mais!” ou “Quero ter acesso a esse material!”, não é mesmo? E se eu te disser que todos eles são Chamadas para Ação que possuem o objetivo de engajá-lo para a tomada de alguma ação, você acreditaria? Pois eles são! 

Os CTA’s, do termo, em inglês, Call to Action, significam “Chamada a uma Ação”. Basicamente, eles consistem em um recurso muito valioso utilizado nas estratégias das instituições de ensino para potencializar suas ações de Marketing Digital. Isso acontece porque, como o próprio nome sugere, eles têm o intuito de levar os interessados à realização de alguma ação desejada pela IE.

Essa ação, na maioria das vezes, é uma ação tal como: inscrever para visitar o seu colégio, baixar algum material, falar com o coordenador de curso ou, até mesmo, se inscrever em seu processo seletivo. 

Ainda não entendeu? Veja como esse conceito é usado na prática: 

Basicamente, um CTA é um link, geralmente, representado em forma visual ou textual vinculado dentro de uma página do website da sua instituição de ensino, por exemplo. 

As Chamadas para Ação são mais comuns no nosso dia a dia do que imaginamos. Elas estão presentes em estratégias de vendas de muitas empresas, independentemente do ramo de atuação. Isso só acontece porque os CTA’s são comprovadamente eficazes.

Você percebeu? Sabe o “Confira!” que você acabou de ler antes de entrar nesse artigo? Sim, você “caiu” em uma Chamada para Ação. 😅

3. A importância de estruturar poderosas Chamadas para Ação e como elas podem aumentar a conversão de alunos da sua IE

Para que esta estratégia gere bons resultados, não basta apenas criar os CTA’s, é essencial saber planejá-los. Por isso, quando for escolher uma Chamada para Ação, leve em consideração questões como:

  • As suas personas;
  • O comportamento dos visitantes que a sua página recebe;
  • Como essas pessoas chegaram lá; 
  • No que elas estão interessadas.

Ao responder a essas perguntas, você conseguirá identificar qual será o próximo passo dado pelos seus potenciais alunos e, assim, estruturar CTA’s ainda mais direcionados.

Devido ao efeito causado pelas Chamadas para Ação, a tendência é que a taxa de conversão da sua instituição de ensino aumente. Haja vista que os seus leads estarão avançando gradativamente em sua Jornada de Compra Educacional

É importante entender também que um Call To Action jamais deve vir sem contexto. Ele deve dizer, em poucas palavras, para onde o usuário será direcionado ao clicar nele. Por isso, é importante que os seus elementos, bem como os elementos da página onde ele será inserido “falem” a mesma língua. 

É sempre bom lembrar: suas personas só irão clicar em seus CTA’s se eles forem chamativos o suficiente. 

Geralmente, as Chamadas para a Ação ficam misturadas no meio de todo o conteúdo da página. Resultado? Muitas vezes, elas não são percebidas pelos usuários. Um grande desperdício, não é mesmo? Portanto, para destacar a sua chamada, é fundamental pensar no: 

  • Formato;
  • Cores;
  • Conteúdo; 
  • Local.

Para imergirmos no mundo das Chamadas para Ação, vamos ver cada um desses requisitos separadamente.

4. Chamadas para Ação: elementos essenciais

     1. Formato

Existe uma infinidade de formas e versões que uma Chamada para Ação pode assumir, mas todas elas partem de basicamente três: botões, banners e links em texto.

  • Botão

Este é o tipo mais comum nas páginas iniciais dos sites e, geralmente, são visíveis logo no início delas. Também é muito utilizado em formulários e campanhas de e-mail marketing. Contudo, o exemplo que certamente a sua instituição utiliza, por ser o mais frequente, é o famoso CTA de “Inscreva-se”.

Um outro exemplo de botão que pode ser utilizado no website da sua instituição de ensino é o “Fale com um consultor”. Ele é bastante útil para levar o potencial aluno/visitante a ter um contato mais direto com os consultores da sua instituição e, até mesmo, com o coordenador de curso, a fim de ajudá-lo a sanar qualquer possível dúvida sobre carreiras e profissões.

  • Banner

Trata-se de uma imagem que, por si só, provê mais contexto do que apenas um botão que depende de outros elementos da página. 

As Chamadas para Ação em formato de banner são modelos bastante utilizados em blogs, redes sociais e anúncios em redes de display. Nesses casos, é necessário ter mais cuidado com o contexto, pois ele nem sempre recebe o apoio de um blog post, por exemplo. Por essa razão, é muito importante que o CTA em formato de banner seja autoexplicativo.

Na prática: você pode ter um banner no seu blog, incentivando o visitante a baixar um e-book como, por exemplo, “Escolher sua profissão ficou mais fácil: confira nossas 10 dicas!”.

  • Link em texto

Por construir os links internos dos sites, blogs e qualquer outro ambiente como os e-mails e e-books, por exemplo, esse formato é extremamente importante, principalmente se você quer garantir um bom posicionamento de seus conteúdos através de práticas de SEO. Veja um exemplo:

Sua instituição enviou um e-mail para os seus alunos solicitando o preenchimento de um questionário de satisfação. Ao término da mensagem, inseriu um CTA “Quero responder o questionário agora”, estimulando o leitor a clicar e respondê-lo imediatamente.

     2. Cores

Pode parecer simples, mas a escolha das cores que irão compor as Chamadas para Ação pode influenciar (e muito) os seus resultados. Por isso, são muito importantes e devem ser bem pensadas. Ao considerar a cor para os seus CTA`s, pense que cada elemento do seu site estará “concorrendo” entre si para despertar a atenção do visitante.

Por essa razão, é preciso escolher uma cor que combine com as demais tonalidades do seu site e, ao mesmo tempo, consiga destacar-se entre elas. Mas não existe uma cor que funciona mais do a outra. Há algumas pessoas que acreditam ser o verde mais eficaz para trazer resultados, enquanto outros acham que os tons avermelhados são melhores.

Para te ajudar a definir a cor do seu CTA, você pode utilizar o círculo cromático para identificar as cores que mais podem contrastar-se com as do seu site. Para utilizá-lo, basta saber que uma cor contrasta com a da posição oposta.

Lembre-se: as cores dos CTA’s não podem atrapalhar a identidade visual que a sua instituição utiliza.

     3. Conteúdo

É imprescindível se atentar ao conteúdo das suas Chamadas para Ação, uma vez que é ele que terá a capacidade de despertar (ou não) o gatilho da compra.

Por isso, a dica é investir em CTA’s objetivos e claros para que, dessa forma, seja possível fazer com que o seu potencial aluno tome uma decisão baseado em um sentimento gerado pela experiência proporcionada pela sua IE.

Considere este exemplo de CTA:

>> Quero realizar a matrícula no vestibular da Uniexemplo e obter 15% de desconto na matrícula. 

Percebeu como ele é longo e faz com que o leitor pense duas vezes antes de clicar? 

Agora, veja este outro exemplo:

>> Não quero perder esta oportunidade!

Este, por sua vez, é menos descritivo, porém é mais curto e prático e, por consequência, tem a capacidade de despertar um sentimento de urgência de forma mais acentuada. Por isso, quando for criar suas Chamadas para Ação, a objetividade deve estar sempre presente.  

Clicando AQUI, você tem acesso ao nosso blog post Marketing de Conteúdo Educacional: conteúdo para conversão de alunos. Nele, você encontrará dicas importantes para a produção de conteúdos das suas Chamadas para Ação.

     4. Local

Uma coisa é óbvia: todas as páginas de um site são criadas com um propósito. Por exemplo, algumas visam que o candidato inscreva-se em seu processo seletivo, outras oferecem conteúdos relevantes a fim de sanar possíveis dúvidas e outras são desenvolvidas com vistas à atração e conversão de leads.

No entanto, ainda é comum encontrarmos sites de instituições de ensino com posts ou páginas importantes sem um objetivo específico. Isso faz com que esses sites deixem escapar várias oportunidades de negócio, perdendo, com isso, vários dos seus potenciais alunos.

Isso porque é fundamental saber definir os locais mais estratégicos para a utilização dos CTA’s. Quando o seu conteúdo não possui um objetivo bem definido, essa missão se torna mais difícil. Lembre-se: Chamadas para Ação são muito eficientes, porém, quando simplesmente “jogadas” ao longo do conteúdo ou da página do seu website, o seu desempenho tende a ser bastante comprometido.

Mas onde inserir as Chamadas para Ação? Veja alguns exemplos de lugares onde elas podem aparecer: 

  • Home e páginas do site;
  • Redes Sociais;
  • Anúncios;
  • E-mail Marketing.

5. Chamadas para Ação na prática: exemplos para você se inspirar

Para te ajudar, separamos alguns exemplos de Chamadas para Ação que a sua instituição de ensino pode utilizar como inspiração na hora de produzir os seus CTA’s, confira:

  • Chamada para Ação em formato de banner:

Como vimos, esse formato de CTA é bastante útil para ser trabalhado ao longo de textos, principalmente quando deseja-se chamar atenção do leitor para um conteúdo externo.

CTA: Captação de alunos - Rubeus

  • Chamada para Ação explorando a paleta de cores:

A psicologia das cores diz que diferentes tons podem despertar diferentes sensações, por isso sua equipe de Design deve ser capaz de harmonizar as cores utilizadas aos objetivos pretendidos.

CTA: Captação de alunos redes sociais - Rubeus

  • Chamada para Ação utilizada nas redes sociais:

As redes sociais são fundamentais para a sua estratégia de Marketing Digital. Contudo, devido à grande quantidade de usuários, é cada vez mais difícil tornar-se relevante. Por isso, inovar é a palavra de ordem. Busque sempre por novas abordagens, formas e imagens, isso fará com que as suas Chamadas para Ação se diferenciem das demais. 

Exemplo de CTA nas redes sociais - Rubeus

E aí? Deu para se inspirar? Para ter acesso a mais Chamadas para Ação, sugerimos que você clique AQUI e acesse um blog repleto de bons exemplos! 

6. 3 dicas valiosas para estruturar Chamadas para Ação que convertem 

Queremos te ajudar a criar CTA’s poderosos e, por isso, selecionamos algumas boas práticas, veja:

     1. Utilize gatilhos mentais

De forma simplificada, os gatilhos mentais são estímulos enviados pelo cérebro, que exercem influência direta sobre uma pessoa e a forma como ela tomará alguma decisão. 

Ao criar suas Chamadas para Ação, é fundamental incorporar, em sua estratégia de Copywriting, gatilhos mentais que consigam despertar o engajamento dos potenciais alunos. 

Há diferentes formas de promovê-los, vamos analisar a utilização de 3 deles, veja:

  • Gatilho mental: Urgência

O gatilho da urgência atua de forma a estimular o seu potencial aluno, uma vez que limita o tempo que ele tem para a tomada de decisão. Esse gatilho é normalmente utilizado para descontos e promoções que são válidos por um determinado período de tempo, o que contribui para que seja um dos mais fáceis de ser utilizado.

Utilizar expressões que despertem a sensação de urgência como “Obtenha esse desconto na matrícula somente hoje” ou “Hoje é o último dia para se inscrever” inclinam o seu lead à tomada de decisão de forma mais rápida.

  • Gatilho mental: Escassez 

Este gatilho visa despertar o estímulo de “perda” caso não haja ação. O subconsciente das pessoas faz a relação de valor com escassez, assim, a exclusividade de uma coisa faz com que as pessoas paguem mais por ela.

Isso acontece porque o seu potencial aluno será movido pelo medo inconsciente de perder aquela oportunidade que talvez nunca mais se repita. Use essa estratégia não só em seus e-mails, ofereça também descontos exclusivos a um número restrito de pessoas, por exemplo.

  • Gatilho mental: Autoridade

Embora seja um gatilho audacioso, quando bem planejado, pode oferecer bons resultados para a captação dos alunos

Para ativá-lo, é necessário que a sua instituição de ensino entenda profundamente sobre o tema que propôs ser referencial. Para que você obtenha efetividade ao utilizar esse tipo de gatilho, é preciso que haja muito esforço e que sua equipe de Marketing seja bem capacitada, visto que será preciso posicionar a sua IE como ponto de partida para determinado assunto.

    2. Não perca de vista o Funil de Captação de Alunos

Que o Funil de Captação de Alunos é fundamental para a sua estratégia de produção de conteúdo, isso você já sabe, não é mesmo? Mas como utilizá-lo para tornar as suas Chamadas para Ação realmente efetivas? É isso que veremos agora!

  • Conteúdo

Como vimos, se atentar quanto ao conteúdo presente nas Chamadas para Ação é fundamental. De forma resumida, você deve adaptar as suas estratégias de acordo com o local em que cada CTA será inserido, veja:

>>> Home e páginas do site

Quando uma pessoa chega até o seu site, mesmo que ela nunca tenha ouvido falar da sua instituição, as chances de possuir algum tipo de interesse em você são grandes. Por isso, explore essa condição e incentive o visitante a tomar uma ação nesse momento.

Veja alguns exemplos de CTA’s para essa situação: 

CTA Inscreva-se - Rubeus

CTA de “Assine a nossa newsletter” - Rubeus

CTA “Saiba mais sobre” - Rubeus

Ao estruturar as suas Chamadas para Ação, é fundamental considerar que elas devem estar alinhados à etapa do aluno na Jornada de Compra Educacional. Não sabe como fazer isso? Nós te ajudamos, veja 3 exemplos simples de pessoas em momentos diferentes:

Visitante querendo conhecer a instituição:

Nesta etapa, o potencial aluno ainda está ponderando sobre qual instituição é a ideal para ele. Além disso, ele busca por demais informações como: entender melhor os diferenciais da instituição, as metodologia de ensino e a localização, por exemplo. Por isso, um CTA que seria facilmente notado por esse visitante é:  

Lead que já conhece a instituição, mas está com dúvida sobre qual curso escolher:

Tendo em vista a necessidade deste lead, é importante que o Call to Action disponibilizado seja estratégico. Assim, a Chamada para Ação mais indicada seria:

CTA: “Fale com um consultor” - Rubeus

CTA:“Faça um teste vocacional agora!” - Rubeus

Potencial aluno que já conhece a instituição, já decidiu o curso e quer se inscrever no vestibular:

Neste momento, o potencial aluno já se decidiu e deseja fazer parte da sua instituição. Logo, o CTA mais adequado é:

CTA Inscreva-se - Rubeus

É importante entender que cada potencial aluno está em um momento de decisão diferente no que tange a jornada de matrícula. Por isso, é indispensável otimizar o website da sua instituição de modo estratégico.

>>> Redes Sociais

O uso das redes sociais é essencial em todas as etapas do Funil de Captação de Alunos, principalmente no estágio de atração e conversão. Através delas, é possível divulgar os conteúdos do seu blog e site institucional a fim de ter mais visitantes.

Exemplos de Chamadas para Ação para essa situação são:

“Curta e compartilhe com os seus amigos” 

ou 

“Marque o seu amigo que tem tudo a ver com esse post”. 

Atenção: nas redes sociais não é muito comum a utilização de CTA’s em formato de botões, geralmente eles aparecem de forma escrita. Ao fazer isso, não se esqueça de disponibilizar um link que direcione o seu prospect. Esse, por sua vez, pode ser colocado na Bio, na descrição do post ou nos comentários, por exemplo.

Caso queira mais inspirações, sugerimos que você acesse nosso perfil no Instagram. Lá, você encontrará várias Chamadas para Ação que podem te ajudar a estruturar as suas. Acesse-o, clicando AQUI

  • Anúncios

Um anúncio pode ser bonito, atrativo e com conteúdo relevante, mas, sem um Call To Action eficiente, ele pode não ser eficaz, já que a pessoa poderá ficar perdida sem saber o que fazer em seguida. Por isso, podemos concluir: o papel de uma Chamada para Ação é exatamente incentivar quem estiver vendo o seu anúncio a clicar nele imediatamente.

DICA: invista em números! Eles são capazes de aumentar o senso de urgência das suas personas, estimulando e incentivando a entrarem ou avançarem em seu Funil de Captação.

Exemplos de CTA’s para essa situação:

“Quero ganhar os 10% de desconto” - Rubeus

CTA: “Realize a sua matrícula e economize até R$ 500,00”. - Rubeus

  • E-mail marketing

Para ter resultados cada vez melhores em seus e-mails marketing, os CTA’s são muito úteis. Por isso, você não pode deixar de adicioná-los nos e-mails que serão enviados aos potenciais alunos.

Com isso, eles não só visualizarão os e-mails, mas também darão um retorno imediato de acordo com o que for proposto.

Exemplos de CTA’s para essa situação: 

CTA: “Clique aqui e saiba mais!” - Rubeus

 CTA: “Agende uma visita e conheça nossa escola” - Rubeus

E por falar em e-mails marketing, temos um e-book que pode te ajudar a estruturar modelos realmente eficientes. Clique AQUI para acessá-lo. 

     3. Não perca o timing da oportunidade

A terceira dica pode parecer um pouco óbvia, porém é um ponto em que, infelizmente, muitas IEs ainda erram. Pense:

Você cria conteúdos relevantes para as suas personas, insere CTA’s estratégicos e consegue atrair potenciais alunos, mas na hora de nutrir a oportunidade… simplesmente não desempenha uma boa atuação. Resultado? O potencial aluno retrocede em sua jornada de compra ou ainda desiste da compra naquele momento.

Para que isso não aconteça com a sua instituição de ensino, é fundamental que você fique atento ao timing da oportunidade, através da realização de um bom follow-up

“O follow-up é o acompanhamento dos contatos realizados com o lead durante toda sua jornada de compra. Seu principal objetivo é otimizar as estratégias tanto de qualificação quanto nutrição.

Além disso, essa prática é responsável por avaliar os resultados sempre após uma determinada campanha para captar mais alunos (leads) para uma instituição ou cursos específicos. Ou seja, ela permite saber tudo em relação a produtividade e geração de leads qualificados em tempo hábil para prospecção.”

Quer saber mais informações sobre como realizar um eficiente follow-up? Então acesse nosso blog post específico sobre o assunto:

Blog post Follow up na conversão de alunos - Rubeus8. Conclusão

As Chamadas para Ação ou Call to Actions são importantes técnicas utilizadas para incentivar o potencial aluno à tomada de decisão. Por isso, é fundamental que a sua IE as utilize em suas estratégias.

Os CTA’s podem variar de acordo com formato, conteúdo, cores e lugares onde podem ser inseridos. Cada uma dessas variáveis deve ser bem explorada e trabalhada, visto que são capazes de potencializar a utilização dessa técnica. 

Além disso, os gatilhos mentais, a realização de um acompanhamento efetivo para não perder o timing da oportunidade bem como sempre considerar o Funil de Captação de Alunos ao longo de toda a criação das Chamadas para Ação são importantes formas de tornar o uso dessa ferramenta realmente estratégica.

Agora, eu quero saber de você: está com alguma dúvida ou quer saber mais sobre como a Rubeus pode ajudar a sua IE? Fale com um dos nossos consultores: é fácil, prático e gratuito, basta clicar AQUI.

Agora que você já sabe como estruturar eficientes Chamadas para Ação, não vai ficar parado(a), né? Mãos à obra!

Este conteúdo serviu para te inspirar? Que tal compartilhá-lo com alguém da sua equipe?

Receba dicas de captação e retenção de alunos!

Receba quinzenalmente dicas, ideias e inspirações sobre como captar e reter alunos de forma sustentável.

Tenha acesso a ferramentas, processos e boas práticas para tornar sua instituição de ensino referência no mercado educacional.