A importância da criatividade na educação: como criar estímulos para o aprendizado

Entender a importância da criatividade na educação e exercitá-la por meio de estímulos práticos que explorem o desenvolvimento cognitivo, é uma das formas mais enriquecedoras de equipar o aluno com habilidades que o tornarão singular pessoal e profissionalmente. 

Por isso, confira agora, algumas das principais ferramentas práticas que a sua instituição de ensino pode utilizar para exercitar a criatividade em sala de aula. 

Tempo de leitura: 8 minutos

Introdução

A criatividade consiste na capacidade de perceber o mundo de maneiras inovadoras, de desvendar padrões inexplorados, de criar conexões entre fenômenos aparentemente não relacionados e de gerar soluções.

Entretanto, ao contrário do que muitos pensam, ser criativo não é “apenas” criar algo completamente novo ou reinventar padrões. A capacidade de ser criativo se manifesta em questões e desafios que enfrentamos diariamente, tal qual a explicação de um conteúdo em sala de aula, por exemplo. 

Em resumo, isso significa que ser criativo também envolve a capacidade de se fazer entender e de criar conexões cognitivas. Ou seja, de criar “novos caminhos” cerebrais. 

Assim, dada a importância da criatividade na educação, neste conteúdo iremos abordar algumas ações que atuam como estímulos para o desenvolvimento da capacidade criativa e dicas de como a sua instituição de ensino pode trabalhá-las. Veja alguns dos pontos que serão abordados:

  • Conceitos: a importância da criatividade na educação;
  • Disrupção: o modelo tradicional de ensino e a falta de estímulos para a criatividade;
  • Estratégias: plasticidade cerebral e criatividade em sala de aula;
  • Na prática: como estimular a criatividade?   
  • Bônus: materiais complementares.

Boa leitura e ótimos insights! 🤓

A importância da criatividade na educação

Muitas pessoas não se consideram criativas pelo fato de “não criarem coisas novas” ou não atuarem diretamente com questões artísticas, por exemplo. Entretanto, a criatividade é intrínseca ao ser humano, ou seja, nós nascemos com ela. 

Em suma, a diferença entre pessoas mais ou menos criativas se dá pela exposição a estímulos que incentivam a criatividade. Isso porque a capacidade de ser criativo tem seu ponto de partida na observação de algo. Ou seja, precisamos ser estimulados.

A importância da criatividade na educação: como criar estímulos para o aprendizado - Rubeus

Trazendo a ideia de criatividade para o cenário educacional, percebemos o quão necessário é trabalhá-la como fator indispensável para o enriquecimento da jornada acadêmica dos alunos. Sendo assim, professores, conjuntamente com toda a equipe escolar, devem estar preparados para trabalhá-la e estimulá-la diariamente.

O modelo tradicional de ensino e a falta de estímulos para a criatividade

Como vimos, é necessário que a escola pense em práticas para estimular as conexões cognitivas. Entretanto, no modelo tradicional como o conhecemos, verificamos que não há oportunidades para que isso aconteça.

Sabemos que no formato tradicional de ensino, o professor atua como o detentor do conhecimento, ou seja, a fonte de todo o conteúdo e o aluno assume o papel de reprodutor. Isto é, ele reproduz nas provas o que “decorou” anteriormente.

Entretanto, o mundo mudou e o modelo tradicional de ensino já não atende às necessidades das novas gerações de estudantes digitais que buscam por experiências educacionais. Assim, para esses novos alunos, o ensino deve ser atrativo e deve oferecer uma experiência de aprendizagem que vai além de conteúdos decorados.

Em resumo: o perfil do aluno mudou, requerendo das escolas uma mudança disruptiva na forma de ensinar.

A importância de trabalhar a criatividade nos primeiros anos do aluno na escola

A ideia de neuroplasticidade consiste na habilidade do cérebro de reorganizar funções e estruturas cerebrais. É por meio dela que podemos estimular a criação de novas conexões

Embora o ser humano tenha a capacidade de aprender coisas novas durante toda a sua vida, há um período mais propício para exercitar as conexões neurais, que vai desde a primeira infância até o final da adolescência. 

Em resumo, nesse período, há uma maior facilidade para questões como o desenvolvimento cognitivo, funções sensoriais e associação de linguagens, por exemplo. Sendo assim, um período altamente favorável para desenvolver habilidades e competências.

Newsletter Rubeus

Como estimular a criatividade?  

Agora que vimos a importância da criatividade na educação, chegou a hora de vermos como estimulá-la!

Em resumo, o segredo é gerar “novos caminhos”, exercitando o raciocínio e novas áreas cerebrais. Para isso, é importante trabalhar atividades que demandam concentração e que sejam interativas, tais como:

  • Tocar instrumentos;
  • Praticar esportes;
  • Aprender novos idiomas;
  • Exercitar o gosto pelas artes.

Além disso, é preciso pensar em formas de trabalhar o conteúdo visto em sala e aplicá-lo na prática. Veja algumas dicas de como fazer isso:

💭 Design Thinking na educação 

O Design Thinking na educação visa resolver problemas de distintos ângulos e perspectivas. Além disso, ele prioriza o trabalho colaborativo de quem o está utilizando, de modo a direcioná-los a encontrar soluções inovadoras, que atuarão como forma de engajar e motivar os potenciais e atuais alunos.

Seus pilares englobam a experimentação, a empatia e a colaboração. Ademais, apesar de possuir a criatividade como “carro chefe”, o Design Thinking é dividido em fases estratégicas e níveis: 

Design Thinking na educação - Rubeus

Cada fase estimula diferentes práticas e trabalha análises apuradas sobre as melhores formas de enriquecer o processo. 

Dessa forma, quando aplicado em sala de aula, o Design Thinking permite que todo o processo de identificação, análise e resolução de problemas seja enriquecido, promovendo o pensamento crítico e a atenção.

💡 Saiba mais em nosso conteúdo: “Design Thinking na educação: definições, aplicações, etapas e dicas”.

🎲 Gamificação

A gamificação tem sido associada à educação de forma recorrente no que se refere a adoção de novos métodos que possuem o intuito de facilitar e tornar o processo de aprendizagem mais atrativo.

Ela consiste no uso da lógica dos games em outros contextos. Em resumo, refere-se à aplicação de componentes de jogos em outros aspectos da vida. Assim, quando aplicamos esse conceito ao cenário educacional, o objetivo da gamificação consiste em gerar maior envolvimento e engajamento do aluno com o conteúdo que será lecionado. 

💡 Saiba mais em nosso conteúdo: “Como aplicar a gamificação na educação: 5 dicas para gamificar a sua aula”.

🔄 Sala de aula invertida

Neste modelo híbrido de aprendizagem, os alunos estudam o conteúdo antes da aula (por meio de aulas e cursos on-line, por exemplo). Portanto, o ensino presencial é reservado a tirar dúvidas e realizar atividades supervisionadas. 

Ademais, esse modelo permite que os alunos desenvolvam a autonomia e compartilhem o conhecimento com os demais em sala de aula.

🚀 Aprendizagem Maker

A aprendizagem, cultura ou movimento Maker consiste em um processo no qual os estudantes criam, reinventam e/ou agregam novos sentidos a objetos “comuns”.  

A cultura Maker segue a prática do “Faça Você Mesmo”, ou seja, incentiva o famoso “mão na massa”. Em suma, ela oferece uma abordagem transformacional para o ensino e a aprendizagem que atende às necessidades reais e relevantes dos alunos. 

💡 Saiba mais em nosso conteúdo: “Aprendizagem Maker: conceitos, aplicações e dicas”.

A importância da criatividade na educação: como criar estímulos para o aprendizado - Rubeus

Materiais complementares para enriquecer a sua experiência

Separei alguns conteúdos complementares que podem te proporcionar mais insights poderosos:

Considerações finais

Espero que tenha gostado do nosso conteúdo sobre a importância da criatividade na educação!

Para finalizar, te convido a deixar a sua opinião nos comentários e a compartilhar esse blog post com alguém. Afinal, uma equipe que aprende junto, cresce mais rápido. 😉

Sucesso! 🚀

Paloma Estevam - A importância da criatividade na educação: como criar estímulos para o aprendizado

Sim, além de aprender com esse conteúdo, você pode usá-lo em seus trabalhos acadêmicos! Com o intuito de te ajudar, já preparamos a forma como você deve referenciá-lo! 😉

– Formato ABNT:

ESTEVAM, Paloma. A importância da criatividade na educação: como criar estímulos para o aprendizado. Rubeus, 2021. Disponível em: https://rubeus.com.br/blog/a-importancia-da-criatividade-na-educacao/. Acesso em: XXXX. de XXXX.

– Formato APA:

Rubeus. (data de publicação do art. 2021, 17 dezembro). A importância da criatividade na educação: como criar estímulos para o aprendizado. [Post da web]. Recuperado de https://rubeus.com.br/blog/a-importancia-da-criatividade-na-educacao/