Metodologias ágeis na educação: potencialize resultados dos seus alunos

Se você não sabe o que são metodologias ágeis e como elas podem ser aplicadas com o objetivo de potencializar o desenvolvimento e desempenho dos estudantes, seja no ensino superior ou básico, esse conteúdo é para você. Ele vai te ajudar a entender tudo sobre as metodologias ágeis na educação. 

Prepare-se para transformar a sua escola e/ou faculdade em um ambiente ágil e inovador. Boa leitura e bons insights! 🙂

O que são as metodologias ágeis?

As metodologias ágeis podem ser entendidas como um conjunto de ações práticas que visam organizar e facilitar, tornando mais dinâmica a prática de desenvolver atividades em um projeto.

Ademais, elas compõem uma mentalidade e surgiram a partir de um documento conhecido como Manifesto Ágil. Proposto, em 2001, por 17 desenvolvedores de softwares, esse documento define quatro valores e 12 princípios para incorporar aos projetos a cultura de transformação e inovação que começou a ser sentida naquela época. 

Em resumo, o Manifesto Ágil fez com que todas as organizações, independente do segmento, olhassem seus projetos e atividades sob um novo olhar, passando a entender mais sobre os comportamentos em relação aos clientes e demais membros dos times. 

Valores e Princípios do Manifesto Ágil 

Como vimos, esse documento vinculou valores relevantes a todo negócio empresarial, por isso, é interessante que as instituições de ensino também os conheçam.

  • Indivíduos e interações ao invés de processos e ferramentas;
  • Software operante ao invés de documentações completas;
  • Colaboração do cliente ao invés de negociações contratuais;
  • Responder às mudanças ao invés de seguir um planejamento.

Assim como os valores, os princípios também dizem muito sobre método ágil. Veja-os na imagem abaixo:

Metodologias ágeis na educação: potencialize resultados dos seus alunos - Rubeus

Dica de ouro!

Leia esses 12 princípios, abra um documento no Word ou no Google Drive, transfira-os para lá e escreva ações que sua instituição de ensino pode realizar com o objetivo de atingir cada um deles. Assim, depois de pronto, marque uma reunião para alinhar e receber feedbacks e ideias para seu projeto.

Ferramentas ágeis: escolha a sua

Há muitas formas de estruturar suas ações ágeis na educação. Em suma, algumas ferramentas são o Kanban, Scrum, Design Thinking e o Lean. Minha recomendação é que você saia da caixinha e vá estudar melhor sobre cada uma delas a fim de entender o potencial e qual seria a melhor para o contexto  da sua IE.

Metodologias ágeis na educação: como aplicá-las!

Já sabemos o que são as metodologias ágeis, agora é hora de contextualizá-las ao ambiente de uma instituição de ensino e entender como aplicá-las nas salas de aula. 

Como sabemos, a competitividade e o senso de urgência de “tudo é pra ontem” foi potencializado ainda mais pela pandemia. E nas escolas e faculdades, isso não foi diferente. A transformação digital veio para ficar e precisa ser trabalhada de forma que impulsione o aprendizado dos alunos, somente assim, as instituições de ensino não se tornarão ultrapassadas e obsoletas.

Nesse sentido, as metodologias ágeis na educação já detém o poder de contribuir para o sucesso de uma IE. Por isso, é cada vez mais importante entender como aplicá-las.

4 dicas para aplicar as metodologias ágeis em sua instituição

Para essas dicas, vamos retornar aos quatro valores do Manifesto Ágil e observar como materializar cada um deles.

1. Indivíduos e interações ao invés de processos e ferramentas

Concorda comigo que contar com processos e ferramentas eficientes é sempre um bom caminho de partida? Mas, para ser ágil e dinâmico, sua instituição de ensino precisa valorizar mais os indivíduos e suas interações do que os processos em si.

Dessa forma, podemos dividir essa dica em duas partes:

  • No momento da Captação de alunos: nesse momento, você deve pensar na jornada de compra educacional e como cada um dos seus potenciais alunos interagem com seus conteúdos e, principalmente, com sua instituição.
  • No momento da Permanência de alunos: já quando o objetivo é propiciar formas de fazer com que os alunos continuem estudando com você, a dica de ouro é observar e escutar. Observar seus comportamentos e escutar suas dores e demandas, a fim de ajudá-los nesse caminho. 

2. Software operante ao invés de documentações completas

“Mais vale um pássaro na mão do que dois voando”. Certamente você já ouviu essa frase por aí. Entre muitas interpretações, uma delas pode ser que é melhor você investir esforços em algo que já tenha testado e percebido que funciona do que ficar investindo tempo demais em algo que pode não ser aplicável. 

Logo, essa segunda dica, mais se parece com um conselho: de nada adianta você ter uma documentação (plano de ação ou plano de ensino, por exemplo) completíssima, se você não tiver como desenvolvê-lo em seu dia a dia

Ou seja, você precisa optar por ferramentas e mecanismos que realmente funcionem do que por investir em um planejamento demasiado (e às vezes fora da sua realidade).

3. Colaboração do cliente ao invés de negociações contratuais

Com o intuito de reforçar o que a dica número 1 nos ensina, sua instituição de ensino deve prezar por ser colaborativa ao seu aluno ao invés de se importar com as negociações de contratos.

Mas, como fazer isso? Simples, gerando valor genuíno aos seus estudantes. 

Assim, eles vão perceber que você não está interessado apenas na mensalidade no início do mês, mas sim, que ele aprenda e realmente se torne um profissional de referência no mercado e área de atuação.

Ademais, esteja sempre presente e se comunicando com ele. Dessa forma, será mais fácil que ele perceba como sua instituição agrega valor ao seu crescimento profissional e pessoal. 

4. Responder às mudanças ao invés de seguir um planejamento

O mundo é altamente volátil, mudanças estão acontecendo a todo instante e sua instituição precisa se adaptar da melhor forma possível a elas.

Em resumo, um bom exemplo é a pandemia de coronavírus que pegou a maioria de nós de surpresa e revolucionou a forma de comunicar, trabalhar e se relacionar das pessoas. Em suma, no segmento educacional, quem conseguiu responder às mudanças de forma efetiva e ágil, saiu na frente. 

Aliás, isso acontece a todo momento, não há planejamento que sobreviva a um mundo onde as mudanças predominam

Então, a última dica para você é investir em flexibilidade ao invés de planejar e tentar considerar esgotar todos os cenários possíveis. 

Metodologias ágeis na educação: potencialize resultados dos seus alunos - Rubeus

Tome nota!

A aplicação de metodologias ágeis na educação ganhou um nome próprio, o Eduscrum. Em suma, ele atua tornando o ensino aprendizagem dos alunos mais prático do que teórico. Assim, ele foca no desenvolvimento de competências, habilidades e atitudes mais requeridas pelo mercado de trabalho. 

Vantagens em aplicar metodologias ágeis em sua IE

É hora de entender os motivos pelos quais investir em metodologias ágeis na educação. Separei os principais para você, veja:

  • Desenvolvimento de protagonismo

Ao fazer uso das metodologias ágeis, seus estudantes passaram por ciclos de aprendizagem mais dinâmicos e flexíveis. Dessa forma, seus interesses pelo estudo tendem a aumentar e seu desempenho será proporcional a esse aumento. 

  • Autonomia

A habilidade de autonomia e traços de liderança são constantemente trabalhados nos alunos expostos às metodologias ágeis na educação. 

  • Senso de responsabilidade

O professor passa a ter um papel secundário e o aluno é entendido como o protagonista, o que precisa “dar as caras”. Isso contribui para o desenvolvimento do senso de responsabilidade e faz com que os estudantes entendam que eles são os únicos capazes de transformar sua realidade e alcançar seus objetivos. 

  • Espírito de empreendedor

As habilidades principais de um empreendedor, tais como, o desejo por colocar a mão de massa, a necessidade de se riscar ao mesmo tempo que acerta as linhas do planejamento passam a ser características dos estudantes que estudam com uma mentalidade voltada ao ágil. 

  • Trabalho em equipe

Por último, o ágil também reforça a necessidade de trabalhar em equipe para assim, sair do lugar. Assim, esse pensamento de que não se faz nada sozinho passa a ser constantemente empregado nas salas de aula, durante o desenvolvimento de atividades avaliativas ou não. 

Ei, ainda não acabou!

Separei três sugestões de leitura para você. Lembre-se de compartilhar esses links com sua equipe! 🙂

Metodologias ágeis na educação: potencialize resultados dos seus alunos - Rubeus

Conclusão

Depois de entendermos o que são as metodologias ágeis e como aplicá-las na educação a fim de potencializar o desempenho alcançado por seus estudantes, te desafio a deixar a teoria (aprendida nesse conteúdo) fluir em sua mente e colocar tudo isso em ações concretas.

Se precisar de ajuda, chame-nos pelo chat. Será um prazer contribuir com o crescimento e resultados da sua instituição.

Ah, se sentir à vontade, deixe nos comentários sua opinião sobre esse conteúdo. Vamos adorar entender a sua experiência.

Até a próxima!

Sim, além de aprender com esse conteúdo, você pode usá-lo em seus trabalhos acadêmicos! Com o intuito de te ajudar, já preparamos a forma como você deve referenciá-lo! 😉

– Formato ABNT:

PAULA, Natália. D. Metodologias ágeis na educação: potencialize resultados dos seus alunos. Rubeus, 2021. Disponível em: https://rubeus.com.br/blog/metodologia-ageis-na-educação/. Acesso em: XXXX. de XXXX.

– Formato APA:

Rubeus. (2021, 29 Setembro). Metodologias ágeis na educação: potencialize resultados dos seus alunos . [Post da web]. Recuperado de https://rubeus.com.br/blog/metodologia-ageis-na-educação/