Realizar uma gestão educacional realmente efetiva pode ser bastante desafiador. Por isso, se você está a procura de dicas sobre como ser um bom gestor educacional, este blog post pode te ajudar. Aqui, você encontrará as principais habilidades que um gestor deve possuir para desenvolver uma gestão educacional orientada a resultados. Confira!

Tempo estimado de leitura: de 12 a 15 minutos.

Todo bom profissional, por mais competente que seja, em algum momento, acaba se questionando: “Será que tenho como melhorar?”. Se você está com esse tipo de dúvida, não se preocupe, não é só com você. Diversos profissionais estão passando pela mesma situação neste exato momento. Nossa dica? Leia esse blog post até o final!

Confira o que você verá:

  1. Panorama inicial 
  2. Quais as funções de um gestor educacional?
  3. Quais as habilidades essenciais e como desenvolvê-las?
  4. Como ser um bom gestor educacional: dicas valiosas 
  5. Bônus – Como ser um bom gestor educacional: mapeamento de 3 tipos de perfis profissionais na educação
  6. Conclusão

1. Panorama inicial 

Se tivéssemos que realizar um comparativo entre os resultados obtidos pela sua instituição nos últimos trimestres, visualizaríamos um crescimento, estagnação ou retrocesso? 

Apesar de ser uma pergunta um tanto invasiva, esse é um dos principais questionamentos que os gestores devem se fazer diariamente. Isso porque, independente do ramo de atuação da empresa, obter resultados é fundamental.

No cenário educacional, obter resultados positivos, tanto na Captação quanto na Gestão da permanência de alunos, é fundamental para o sucesso da instituição de ensino. Mas como obtê-los de forma sustentável? A resposta para essa pergunta pode estar em uma gestão educacional realmente eficaz.

Nesse sentido, a função exercida pelo gestor educacional contribui diretamente para o bom desempenho da instituição como um todo. Além disso, devido às novas mudanças ocorridas na forma de consumir serviço educacional, cada vez mais é exigido um desempenho ímpar e, para isso, é necessário desenvolver e aprimorar constantemente diversas habilidades e competências específicas.

Neste post, elencamos dicas valiosas de como ser um bom gestor educacional, para que você comece, o quanto antes, a desenvolver uma gestão orientada a resultados que seja realmente efetiva e sustentável. 

Antes de começarmos, sugerimos que você leia nosso blog específico sobre Gestão de processos educacionais, ele te ajudará a ter uma visão mais ampla sobre as dicas que elencamos aqui. 

Call to Action para o blog post Gestão de processos educacionais. A imagem ilustrativa mostra uma equipe de colaboradores em uma conversa estratégica sobre a busca por resultados satisfatórios.

PARA REFLETIR: 

Basicamente, a Gestão significa influenciar a ação. Gestão é sobre ajudar as organizações e as unidades fazerem o que tem que ser feito, o que significa ação.Henry Mintzberg

2. Quais as funções de um gestor educacional?

Se você deseja saber como ser um bom gestor educacional, primeiro precisamos entender quais são as suas funções.

Basicamente, podemos dizer que o gestor educacional é o responsável pelo planejamento e execução de todas as regras e ações dentro de uma instituição de ensino. Ou seja, ele é o profissional que cuida da qualidade do ensino através de diversas estratégias que envolvem esferas como ensino, aprendizagem e gestão.

Cabe ao gestor promover sinergia entre as equipes, bem como acompanhar e avaliar a aprendizagem dos alunos, de forma a ser capaz de detectar deficiências e, a partir daí, reorientar a prática pedagógica, ajustando-a de acordo com as necessidades identificadas.

Em resumo, as funções do gestor educacional podem ser vistas sob diferentes óticas, veja algumas delas:

  • Coordenar atividades administrativas;
  • Coordenar atividades pedagógicas;
  • Avaliar atividades educacionais;
  • Interagir com a comunidade e os órgãos públicos;
  • Participar do planejamento estratégico da instituição;
  • Gerir recursos financeiros.

>>> Mas, afinal, diretor de ensino, administrador escolar, diretor pedagógico, gestor escolar é tudo a mesma coisa?

É bastante comum, principalmente nas buscas por vagas de emprego em websites, encontrarmos denominações como: Diretor de ensino, Diretor escolar, Diretor pedagógico, Administrador escolar, Administrador pedagógico e Gestor escolar se referindo a mesma função.

Em resumo, a diferença entre os termos diretor, administrador ou gestor escolar não se restringe somente ao nome, aplicando-se também às funções exercidas por cada um deles. 

O que acontece é que, por muito tempo, o atual Gestor foi denominado Diretor ou Administrador escolar. Contudo, com a evolução das necessidades e demais desafios impostos pelo setor educacional, percebeu-se a grande necessidade de ampliação desse termo. 

Assim, atualmente, consideramos que o termo “gestor” seja mais adequado para definir o perfil do profissional que procuramos.

3. Quais as habilidades essenciais e como desenvolvê-las? 

Como forma de tornar nosso entendimento ainda mais prático e não ficarmos apenas na parte teórica de como ser um bom gestor educacional, sugerimos que você considere a realidade da sua IE ao longo de toda a leitura. Assim, será possível identificar qual a melhor forma de atuar de acordo com cada habilidade.

A ilustração enumera as 7 habilidades (explicadas abaixo) para um bom gestor educacional. Ela possui uma imagem feminina como forma de ilustrar uma gestora que possui as habilidades citadas.

  • Proatividade

Se você está a procura de dicas eficientes sobre como ser um bom gestor educacional, esta é uma das principais competências que encontrará.

Uma pessoa proativa não espera que o problema chegue até ela para então resolvê-lo, ela consegue identificá-lo antecipadamente e, assim, agir.

Por ser uma habilidade bastante positiva, a proatividade é, atualmente, um dos principais diferenciais e influenciadores na hora da contratação de um funcionário. Isso porque funcionários proativos tendem a fazer com que a empresa cresça em um ritmo constante.

O gestor proativo é aquele que se antecipa às situações, tem conhecimentos sobre sua área de atuação, sabe como os componentes das equipes trabalham e aproveita para adquirir experiências com eles, mesmo não tendo muito tempo. 

Por isso, a proatividade no trabalho está intimamente relacionada ao aumento da produtividade bem como ao nível de qualidade das atividades entregues.

>>> É hora de desafiar-se!

Sabe aquele “pepino” que está em cima da sua mesa fazem 2 meses? Esse mesmo que você está evitando! Você tem 1 semana para resolvê-lo! 

Talvez, você deva estar pensando: “Como farei isso?!”. Mas posso te dizer uma coisa? O bom gestor educacional deve sempre tomar a frente diante dos assuntos de interesse da comunidade escolar, demonstrando liderança, confiança e sabedoria. Ou seja, nada de “empurrar com a barriga”, você precisa ser um (bom) exemplo para a sua equipe. 

  • Liderança 

A liderança consiste na capacidade de persuadir e influenciar e, quando bem exercida, atua como uma forma de “bússola” que norteia os esforços, recursos e tempo das equipes. Por isso, podemos considerar que a liderança independe de autoridade ou de poder e é uma dica muito importante sobre como ser um bom gestor educacional.

Um bom gestor, quando exerce seu papel efetivo de líder, é capaz de transmitir segurança, fazendo com que a sua equipe sinta confiança e seja comprometida com a entrega dos resultados. Portanto, um gestor líder é aquele que realmente “veste a camisa” da instituição e, dessa forma, passa a ser visto como um referencial para a sua equipe, inspirando, orientando e motivando. 

>>> Líder X Chefe 

Como ser um bom gestor educacional

É muito comum que as pessoas confundam chefe com líder. Contudo, ambos conceitos são distintos. O chefe é aquele que manda e espera que a sua equipe se subordine, sem nem mesmo ouvir o que eles têm a dizer. Nesse tipo de relação, o chefe tem a tendência de comandar pessoas, impor ordens e ser autoritário.

Quando a gestão é baseada em uma relação de líder, sua equipe enxerga você como alguém aberto a ideias e que está disposto a ouvir suas opiniões. Ou seja, o líder é participativo e capaz de inspirar. Uma característica interessante dos líderes é que eles costumam dizer que não tem subordinados, mas sim uma equipe ou um time.

PARA REFLETIR:

Em qual dos dois perfis você se encaixa? 

  • Paixão

Infelizmente, ainda é muito comum que diversos profissionais não façam aquilo que realmente gostam. A grande verdade é que, na maioria das vezes, pautam sua escolha por uma profissão restringindo-se a questões financeiras. Resultado? Profissionais insatisfeitos e desmotivados. 

Na educação, esse cenário não é diferente. Não são raros os casos em que educadores e gestores exercem aquela gestão baseado no “deixa acontecer”. Sabe por que? Porque não sentem prazer naquilo que fazem.

Além disso, quando os resultados não aparecem tão rápido quanto o esperado, essa insatisfação tende a crescer. Por isso, uma habilidade indispensável para qualquer gestor educacional é ser apaixonado por educação e por pessoas. Afinal, você estará em contato direto com essas duas esferas.

>>> É hora de desafiar-se!

E você, tem andado desanimado? Que tal se aprofundar ainda mais no mundo da educação? Assim, você poderá se recordar de todos os motivos pelos quais escolheu essa profissão. 

Caso você queira imergir ainda mais nesse mundo, sugerimos que você assine nossa newsletter e receba novidades diretamente no seu e-mail. Nossa news é para todos que entendem a necessidade de melhorar os processos, experiências e resultados da instituição de ensino. Ela é perfeita para você, não é mesmo? Solicite-a clicando AQUI.

  • Gestão de conflitos

Você sabe a diferença entre debate e conflito? 

Se não, veja agora a diferença entre esses dois conceitos:

O debate consiste em uma discussão saudável entre duas ou mais pessoas que desejam colocar suas ideias em questão ou discordar das demais.

Já o conflito consiste na necessidade de escolha entre algumas situações que podem ser consideradas incompatíveis. Por isso, a grande maioria dos conflitos podem perturbar a ação ou a tomada de decisão por parte da pessoa ou de grupos. 

Sabemos que em qualquer ambiente é comum haver desavenças, afinal, são pessoas com ideias e gostos distintos. Para esses casos, é essencial que você, gestor, saiba exercer a gestão de conflitos. 

>>> É hora de desafiar-se! 

Basicamente, a gestão de conflitos é a habilidade de, como o próprio nome sugere, gerenciar conflitos no ambiente de trabalho. Ou seja, são ações eficientes para solucionar as divergências de opiniões entre pessoas ou equipes.

Percebeu um clima pesado entre suas equipes ou alguns “colegas de trabalho”? Nada de adotar aquela postura do “não vou me meter”, afinal, um ambiente de trabalho precisa ser sinérgico para que funcione bem. Nessas horas, é fundamental que você, gestor, chame as partes envolvidas para conversar. 

Durante o diálogo, busque entender as razões dos dois lados e proponha uma discussão sincera bem como uma possível solução para o contexto do conflito. 

Caso a conversa não seja suficiente e a situação persista, impactando os resultados dos membros envolvidos ou das equipes como um todo, talvez seja o momento de pensar em ações mais duras. 

  • Planejamento

Você acha que precisa de um dia de 48 horas para resolver todas as suas pendências?

Você costuma repetir sempre a mesma coisa em diferentes reuniões?

A quantidade de leads perdidos pelo seu time de Vendas está em uma crescente?

O período de processo seletivo simplesmente “para” todas as equipes?

Alguma dessas situações te soa familiar? Se sim, tenho uma notícia para te dar: sua instituição de ensino está precisando planejar mais e você deve dar o pontapé inicial a fim de inspirar as equipes. 

Na sua busca sobre como ser um bom gestor educacional, talvez esse seja o primeiro requisito para um bom profissional. Por isso, planejar é a palavra de ordem. Veja: sem um bom planejamento não somente a sua produtividade será afetada, mas todos os processos da sua IE como um todo.

>>> É hora de desafiar-se! 

  • Para desenvolver um bom planejamento, não esqueça de começar pelo básico: estabeleça seus objetivos – baseados na metodologia SMART

Para te ajudar, confira nossa publicação no Instagram que trata desse assunto:

Objetivos SMART - Rubeus

  • Estabeleça uma rotina de tarefas e invista em uma agenda diária que mapeie todos os seus afazeres. Não possui uma agenda? O Google Agenda é uma ferramenta disponibilizada gratuitamente pelo Google que permite o gerenciamento dos seus compromissos diários. Além disso, após mapear as suas tarefas e prezar pela organização, você poderá ainda compartilhá-la com pessoas que sejam relevantes.

  • Aposte em um planejamento pedagógico completo e bem elaborado.

  • Desenvolva um calendário de atividades semestrais ou, até mesmo, anuais, ao fazer isso, suas equipes poderão se organizar.

  • Elabore um bom planejamento estratégico para a sua instituição de ensino. 

Ainda não sabe como fazer isso? Então, sugerimos que você faça o download do nosso e-book Planejamento estratégico para IEs, clicando na imagem abaixo:

CTA - Planejamento estratégico - Rubeus

  • Transparência e cuidado

Ser transparente e ter cuidado nas tomadas de decisão é fundamental em qualquer profissão. Funcionários transparentes tendem a demonstrar essa habilidade mesmo que inconscientemente. Eles são notoriamente comprometidos com aquilo que fazem e sempre buscam expor suas opiniões de forma a contribuir para a solução de algum problema ou na proposta de boas práticas.

Nesse contexto, dentre nossas dicas de como ser um bom gestor educacional, essa habilidade não poderia ficar de fora. 

>>> É hora de desafiar-se!  

Gestor, como líder de equipes, ser transparente é fundamental, isso inclui sua atuação junto aos seus colaboradores. Por isso, busque ouvi-los para entender os motivos que os deixam motivados, desmotivados, quais as insatisfações, quais os desafios, dentre outros. 

Além disso, essas conversas serão um ótimo momento para ser transparente com as equipes, com relação a desafios externos e internos à instituição. 

4. Como ser um bom gestor educacional: dicas valiosas

E aí? Deu pra entender tudinho sobre as habilidades necessárias a um profissional da educação? Então, agora, é hora de vermos algumas dicas valiosas de como ser um bom gestor educacional. Anote, ok? 

  • Conheça a realidade da sua instituição de ensino

Conhecer a realidade, bem como o cenário no qual sua IE está inserida, é fundamental para exercer uma gestão educacional realmente efetiva. Isso porque ter uma visão sistêmica, ou seja, do todo, é essencial para realizar uma análise ambiental efetiva

Além disso, a partir do momento em que você tem essa visão, é possível identificar mais facilmente o que você pode melhorar e quais as próximas ações a serem tomadas.

Por isso, tenha sempre em mãos informações importantes, tais como: a realidade dos seus alunos, localizações, situação familiar e faixa etária. 

  • Saiba gerir o seu tempo

Como gestor educacional, imagino que sempre sobram coisas para você fazer e falta tempo para desempenhá-las, e esse é um problema grande. Sabemos que o seu tempo é um recurso precioso e que deve ser usado da melhor forma possível. Por isso, se existem tarefas que estejam tirando o seu tempo de gestor, você precisa delegá-las para os membros da sua equipe.

Para saber como gerir o seu tempo, faça-se 5 perguntinhas:

  1. Qual o grau de prioridade?
  2. Como fazer isso? 
  3. Depende só de mim?
  4. Qual a data máxima para entrega?
  5. Quais recursos a serem utilizados?
  • Conheça as equipes 

Conhecer seus alunos não deve ser a sua única meta, isso porque conhecer as equipes da sua instituição pode ser uma das chaves para a motivação e engajamento dos colaboradores – o que impacta positivamente a obtenção de resultados. 

Um gestor educacional, que não conhece as equipe da sua IE, acaba cometendo equívocos na hora de distribuir (e cobrar) responsabilidades quanto ao atingimento de cada indicador estabelecido no plano estratégico.

Por isso, nada de distanciamentos! É fundamental que as equipes se sintam realmente conhecidas e acolhidas por você, gestor. Por isso, sugerimos que, periodicamente, haja um momento de interação entre vocês, isso incentivará o contato entre gestor e docentes, bem como a integração entre eles.

>>> Para te ajudar, preparamos umas dicas rápidas sobre como promover a melhoria contínua entre os seus times, veja:

Como ser um bom gestor educacional

  • Dê e receba feedback

Todo colaborador necessita de um líder que o motive, que saiba encorajá-lo e que o estimule na busca por bons resultados. Por isso, é essencial que o bom gestor educacional tenha a capacidade de dizer o que precisa ser melhorado.

Além disso, muitos colaboradores desejam saber como estão se saindo ao executar suas atividades. E, quando não há um direcionamento, a tendência é que ele se sinta sozinho e desmotivado, sem ninguém que o ajude a melhorar ou lhe mostre novas formas de executar determinada atividade.

O oposto também é válido, dentre as dicas de ouro de como ser um bom gestor educacional, não podemos deixar de lado a capacidade de ser humilde e tolerante para ouvir comentários sobre sua gestão — que podem não ser o esperado. Para isso, é preciso criar uma cultura favorável ao feedback.

Lembre-se: feedback não se refere somente a comentários sobre questões que devem ser melhoradas. Por isso, não utilize esse momento somente para ressaltar pontos negativos. 

  • Esteja atento às mudanças do cenário educacional

Como ser um bom gestor educacional é uma pergunta que pode te fazer melhorar. Por isso, nossa próxima dica te fará crescer, tanto no âmbito profissional quanto no pessoal: esteja atento ao que acontece no mundo. 

Como gestor, estar atento às mudanças que ocorrem dentro e fora do cenário educacional é imprescindível. Por isso, não perca de vista as novidades diárias. 

O bom gestor conhece muito bem as tendências e boas práticas, desde novas tecnologias, materiais didáticos diferenciados até uma gestão mais eficaz.

A LGDP é um dos grandes exemplos da necessidade de estar atento às mudanças. E, mesmo que não seja restrita ao cenário educacional, é um “detalhe” que afeta diretamente a forma como as equipes irão desempenhar suas atividades diárias.

  • Invista em um CRM educacional 

Se o objetivo da sua instituição é captar mais alunos, a automatização de alguns processos deve ser um fator a ser considerado por você, gestor.

Um CRM específico para educação pode ser a chave para uma gestão mais direcionada e eficaz. Isso porque uma plataforma para captação e permanência de alunos é capaz de gerenciar todo o relacionamento com potenciais e atuais alunos, o que resulta não somente em um atendimento mais eficiente com seu prospects, mas também em uma maior satisfação e produtividade das equipes. 

Por direcionar o tempo, esforço e recursos, um CRM para educação é essencial. Caso você ainda não utilize um, sugerimos que você solicite uma demonstração e verifique, na prática, como essa ferramenta é capaz de ajudá-lo em uma gestão mais eficiente. Para solicitá-la, clique AQUI.

Agora, se você quer se aprofundar mais no assunto, clique AQUI e conheça o CRM Educacional ideal para a sua instituição de ensino.

5. BÔNUS: 3 tipos de perfis profissionais na educação

Fazendo uma analogia, uma instituição de ensino é similar a um time de futebol, precisa de diferentes componentes para funcionar. Nesse contexto, nós separamos um bônus para você. 

Como forma de detalhar ainda mais as nossas dicas, preparamos 3 tipos de perfis profissionais que você encontrará dentro da sua instituição de ensino (analise bem!).

Com essas dicas, você conseguirá visualizar o perfil de cada colaborador, bem como identificar a melhor forma de lidar com cada um deles, veja:

Como ser um bom gestor educacional

Como ser um bom gestor educacional

Como ser um bom gestor educacional

Agora, caso você queira saber mais sobre como a Rubeus pode te ajudar, eu tenho o material certo para você:

Solicitação e-book - Rubeus

6. Conclusão

Como ser um bom gestor educacional é um dos principais questionamentos dos profissionais que desejam melhorar mais a cada dia. Isso porque uma boa gestão precisa ser orientada a processos e a resultados.

Dentre as principais habilidades que um bom gestor educacional deve possuir destacam-se: proatividade, liderança, ser apaixonado pelo que faz, saber planejar e gerir conflitos.

Além disso, práticas como conhecer a realidade da sua instituição de ensino, trabalhar em equipe, receber e dar feedback, estar atento às mudanças do cenário educacional e  investir em um CRM para educação são essenciais na hora de uma gestão efetiva.

Por fim, caso você tenha alguma dúvida e queria entrar em contato conosco. Você pode clicar AQUI e falar com um de nossos consultores, é rápido, prático e gratuito. Iremos te mostrar como o CRM Educacional Rubeus tem o poder de potencializar a sua gestão.

Este conteúdo serviu para te inspirar? Que tal compartilhá-lo com alguém?

Receba dicas de captação e retenção de alunos!

Receba quinzenalmente dicas, ideias e inspirações sobre como captar e reter alunos de forma sustentável.

Tenha acesso a ferramentas, processos e boas práticas para tornar sua instituição de ensino referência no mercado educacional.