Boletim informativo para instituições de ensino

Efeitos da pandemia: aumento de 91% no tempo de permanência do usuário no YouTube

Já acessou o YouTube esta semana? Muitos usuários têm desenvolvido esse hábito, um dos reflexos desencadeados pela pandemia e o isolamento social. 

De acordo com uma pesquisa realizada pela ComScore VideoMetrix, que comparou os acessos em julho do ano passado e julho deste ano, 91% dos usuários brasileiros assumiram terem aumentado seu tempo de uso na plataforma, revelando uma ótima oportunidade de investir nesse canal digital.

Ainda, segundo o Think with Google,  9 em cada 10 consumidores fizeram uma compra depois de assistir a um vídeo no YouTube. Além disso: 

Thinking with Google

Agora, um questionamento: você já parou para pensar em quanto pode estar perdendo por não criar conteúdo para o YouTube? :0

Quer algumas dicas e inspirações? Então confira os vídeos do canal Rubeus! *-*

Se ainda não conhece o canal da Rubeus, aqui vai um convite: venha fazer parte do nosso time, inscreva-se no canal, dê o seu like, ative o sininho e pronto! Você estará por dentro das novidades e insights do cenário educacional.

Por: Bráulio Vieira, CEO da Rubeus
LinkedIn

[Novembro] Boletim informativo para instituições de ensino

Pós-pandemia: mercado de educação no Brasil 

Um artigo publicado pelo Think with Google traça um panorama do cenário educacional pós-pandemia do novo coronavírus, revelando insights interessantes, veja:

“Para quem imagina que o mercado de educação privada do Brasil sofreu seu pior golpe com a COVID-19, é importante lembrar que a retração nesse setor vem desde 2014 e 2015, na esteira da crise econômica e com a redução drástica de recursos federais no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).”

Além disso, nele também foi abordado sobre a visão dos estudantes no que tange o ensino EAD:

“Mais de 70% dos alunos avaliam como positiva a experiência com o EAD após a migração das aulas para o online. Assim, mais do que nunca, é a hora de fazer essa transição. Hoje em dia, ainda que com o desejo de retorno à sala de aula, as plataformas de EAD estão cada vez mais robustas, oferecendo experiências relevantes e completas ao usuário.”

Ademais, o artigo revelou que o Google e o YouTube são considerados os principais canais digitais utilizados pelos potenciais alunos na busca por informações e assistência para tomar decisões:

Thinking with Google

Você pode conferir o artigo na íntegra clicando AQUI.

Por: Natália de Paula, Coordenadora de Marketing 
LinkedIn

[Novembro] Boletim informativo para instituições de ensino

Aprendizagem mobile

O aumento do uso de dispositivos móveis já é uma realidade entre os consumidores de diversos produtos e serviços, e no âmbito educacional isso não é diferente. Ou seja, é cada vez mais normal o acesso a conteúdo de aprendizagem por meio de dispositivos móveis.

De acordo com o Think with Google:

“No mobile, os riscos de perder um cliente são altos. Se você não der às pessoas o que elas querem e rapidamente, elas vão fazer negócio em outro lugar. Na verdade, descobrimos recentemente que, para os sites de varejo, melhorar o tempo de carregamento em 0,1 segundo pode melhorar suas taxas de conversão em 8%.”

Isso significa que, para atender às necessidades dos alunos que utilizam o mobile, é crucial criar cursos e garantir que os materiais sejam responsivos e flexíveis o suficiente para vários formatos. Assim, será possível dar aos alunos a melhor experiência, independentemente de qual dispositivo eles escolham. 

[Novembro] Boletim informativo para instituições de ensino
Por: equipe Rubeus
LinkedIn

Resultados do CenSup 2019 revela aumento de matrículas no ensino a distância

Resultados do CenSup 2019 revelam aumento de matrículas no ensino a distância

O Inep divulgou o retrato do ensino superior no país em 2019 na sexta-feira, dia 23 de outubro, por intermédio do ministro da Educação, Milton Ribeiro.

Em resumo, o Censo da Educação Superior configura-se como o instrumento de pesquisa mais completo do Brasil, no âmbito educacional. Ele é realizado anualmente pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

A participação na pesquisa é obrigatória para ingressar em programas disponibilizados pelo MEC (Ministério da Educação), como é o caso do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), ProUni (Programa Universidade para Todos) e Capes (bolsas de Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

Segundo os dados de 2019, a cada 4 estudantes que cursam graduação no Brasil, 3 estão na iniciativa privada. 

Além disso, existem no país um total de 2.608 instituições de educação superior. Dentre elas, 2.306 são privadas e 302 públicas. E, do total de matrículas na educação superior (8.604.526), a maior parte, cerca de 6.524.108, está na rede privada.

No que tange a educação EAD, o censo revela que, em 2019, das 16.425.302 vagas disponibilizadas no nível superior, um total de 10.395.600 foram na modalidade EAD.

Frente a isso, percebemos como é imprescindível investir em ações para captação de alunos em cursos EAD. Mas como atuar? Veja algumas dicas práticas:

  • conheça suas personas e faça uma boa gestão da sua marca;
  • analise e atue em cada etapa do Funil de Captação de Alunos;
  • mostre o que sua IE tem de melhor.

Sua instituição já investe em ações para captação de alunos na modalidade EAD? Saiba detalhadamente como trabalhar cada um dos pontos de atenção acima em: Captação de alunos EAD: 7 dicas poderosas para sua IE captar mais

Você pode ter acesso aos resultados do CenSup 2019 na íntegra. Para isso, clique AQUI!

Por: Bráulio Vieira, CEO da Rubeus
LinkedIn

Instagram completa 10 anos! - Rubeus

Instagram completa 10 anos

No dia 06 de outubro, o Instagram completou 10 anos de existência e teve presentes para os usuários. Para comemorar a data, foram lançadas algumas novidades, dentre elas melhorias no Reels e a disponibilização de ícones antigos da plataforma (gerando muita nostalgia para os seus usuários mais assíduos)

Criado em 2010 pelo americano Kevin Systrom e pelo brasileiro Mike Krieger, o Instagram conta, atualmente, com 69 milhões de usuários no Brasil e cerca de 500 milhões em todo o mundo. Talvez você deve estar se perguntando: “Como esses números podem ser importantes para os resultados de captação de alunos da minha IE?” Eu já te falo!

Sem dúvida, o poder e influência ocasionados pelo uso de redes sociais, como o Instagram, é cada vez mais forte. Por isso, para impulsionar seus resultados, as instituições de ensino também devem marcar presença nessa mídia.

Como usar o Instagram na educação é um dos principais questionamentos quando o assunto é atrair leads. Entretanto, possuir um perfil otimizado pode ser um grande aliado para que você tenha sucesso na captação de alunos por meio do Marketing Digital. Seus benefícios e funcionalidades fazem dele uma rede social eficaz para promover o seu negócio.

Saiba detalhadamente como fazer isso, na prática, lendo nosso blog post: Guia Completo: Instagram para instituições de ensino.

Além disso, acompanhe nosso perfil no instagram para ter ideias e insights sobre boas práticas para utilizar esse canal digital!

Por: Natália de Paula, Coordenadora de Marketing 
LinkedIn

Brasil tem 134 milhões de usuários de internet

Brasil tem 134 milhões de usuários de internet

Segundo uma pesquisa disponibilizada pela TIC Domicílios 2019, 3 em cada 4 brasileiros acessam a internet, o que equivale a 134 milhões de pessoas. 

Já vimos que estar presente no ambiente virtual é imprescindível para aumentar as vendas, não é mesmo? Contudo, você deve apostar em canais digitais que permitam uma maior apresentação e divulgação da sua IE de uma forma mais formal e detalhada. O website educacional é perfeito para isso! 

Entretanto, muito mais do que apenas possuir um website, é preciso também utilizá-lo a fim de elevar a sua taxa de conversão. Essa, por sua vez, é a capacidade das suas ações de marketing de transformar visitantes em leads. Para calculá-la, basta dividir o número do investimento mensal da sua instituição, com o objetivo de gerar visitas, pelo total de visitas “convertidas” que você recebe durante todo mês.

Para criar um website estratégico e, consequentemente, aumentar a sua taxa de conversão, há uma série de boas práticas que atuam como potencializadoras, veja:

  • ter atenção à responsividade do seu website;
  • utilizar CTAs estratégicos;
  • posicionar o gatilho de “inscreva-se” de forma acessível durante toda a navegação.

Saiba detalhadamente como trabalhar cada um desses pontos de atenção lendo nosso blog post: Como criar um site educacional: dicas primordiais para fazer isso bem feito.

Por: Natália de Paula, Coordenadora de Marketing 
LinkedIn

Boletim informativo para instituições de ensino - Rubeus

Educação pós-covid: saiba como se preparar

Especificamente no cenário educacional, mudanças significativas farão parte da realidade das instituições de ensino depois do isolamento social. 

Após séculos de experiência com métodos tradicionais de ensino, caracterizados pela presença dos alunos, professores e objetos de aprendizagem no mesmo local físico, nos últimos anos, a educação vem extrapolando suas salas de aula presenciais e potencializando o processo de ensino/aprendizagem por intermédio da tecnologia.

Com o isolamento social imposto pela Covid-19 e a impossibilidade das instituições de ensino manterem sua operação presencial, a educação sentiu as dores mais latentes da necessidade de adaptação. Dessa forma, foi necessário migrar das quatro paredes da sala de aula para o ambiente virtual sem aviso prévio ou tempo para planejamento. 

A nova dinâmica imposta estimula a aprendizagem assíncrona. Essa, por sua vez, está emergindo como uma abordagem popular entre os alunos e docentes. Nessa forma de aprendizagem, o professor incentiva os alunos a desenvolverem as atividades em seu próprio ritmo por meio de pesquisas e/ou parceria com colegas de classe, por exemplo.

Mas não é só essa “mudança” que vem por aí, há outras questões e novos “normais” que precisam ser considerados pelas IEs:

  • a utilização de ambientes de aprendizagem digitais e interativos;
  • maior foco na experiência do aluno;
  • maior humanização do ensino;
  • nova forma de aprender;
  • novo perfil do professor; 
  • modalidade de ensino híbrido;
  • a tecnologia atuando como facilitadora da gestão e do aprendizado.


Saiba detalhadamente como trabalhar cada um desses pontos de atenção, lendo nosso blog post Educação pós-Covid: desafios e transformações após o isolamento social

Por: Bráulio Vieira, CEO da Rubeus
LinkedIn

Boletim informativo para instituições de ensino - Rubeus

Professores declaram não saber se alunos aprendem através de aulas remotas

Com o fechamento das instituições de ensino desde março, as aulas foram migradas para o ensino remoto, dando origem a diversas restrições e desafios impostos a gestores, docentes e alunos.

Para analisar o cenário atual da educação, o Instituto Crescer realizou uma pesquisa que aconteceu de forma virtual, entre os dias 1º e 17 de setembro, e ouviu 528 professores, atuantes em instituições de educação básica e do ensino superior, privadas e públicas. 

Foi questionado aos docentes como tem sido a experiência da educação remota e o resultado foi um total de 46% apresentando dúvidas quanto à veracidade do aprendizado por meio das aulas remotas. Além disso, 8% relataram considerar o ensino on-line frustrante devido ao baixo sucesso no resultado de aprendizagem dos alunos.

Ademais, a grande parte dos docentes (61%) relatou ter aprendido sozinho a utilizar os recursos tecnológicos requeridos pelas atividades virtuais. 

“Para que isso realmente se efetive e se reverta em oportunidades de aprendizagem significativa, é necessário um investimento na formação dessas pessoas e o desenho de um planejamento estratégico que nos ajude a avançar nesse processo de forma mais estruturada” relata Luciana Allan, diretora do Instituto.

Por: Natália de Paula, Coordenadora de Marketing 
LinkedIn

LGPD adiada para 2021

LGPD: agora vai ou já foi?

A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais entrou em vigor após anos de debates e incertezas. Em 14 de agosto de 2018, o então presidente Michel Temer sancionou a Lei 13.709/2018 – conhecida como LGPD. 

De lá para cá, são diversos rumores e datas incertas. Aprovação pra lá, veto pra cá e dúvidas por todo o lado. Inicialmente, a lei estava marcada para entrar em vigor a partir de agosto de 2020.

Contudo, devido à Medida Provisória n.º 959, poderia ter o seu início adiado para 3 de maio de 2021. Essa MP, publicada na edição extra do Diário Oficial da União, foi assinada pelo presidente Jair Bolsonaro e aborda informações relacionadas ao auxílio emergencial disponibilizado pelo governo em virtude da pandemia causada pelo novo coronavírus.

Para que tivesse força de lei, a MP deveria ser confirmada em votação pelas casas legislativas. Assim, contrariando a vontade da Câmara dos Deputados que optou pelo adiamento da vigência para dia 31/12/2020, o Senado Federal aprovou no dia 26/08/2020 a vigência legal.

Embora, o texto tenha entrado em vigor no dia 18 de setembro, é importante lembrar que, apesar da vigência dos dispositivos, a aplicação das penalidades só poderá ser feita a partir de agosto de 2021.

Por: equipe Rubeus
LinkedIn

Buscas sobre ansiedade disparam durante a pandemia - Boletim informativo

Buscas sobre ansiedade disparam durante a pandemia 

Segundo pesquisa realizada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), os problemas de saúde mental estão aumentando consideravelmente ao longo da pandemia da Covid-19.

Foram entrevistadas um total de 1.460 pessoas, em 23 estados de todas as regiões do Brasil. Foi utilizado um questionário on-line contendo mais de 200 perguntas disponibilizadas em dois momentos específicos, de 20 a 25 de março e de 15 a 20 de abril.

“A prevalência de pessoas com estresse agudo na primeira coleta de dados foi de 6,9% contra 9,7%, na segunda. Para depressão, os números saltaram de 4,2% para 8,0%.

Por último, no caso de crise aguda de ansiedade, vimos sair de 8,7% na primeira coleta para 14,9%, na segunda coleta” ressaltou o professor Alberto Filgueiras, do Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Com o distanciamento social e a consequente diminuição na interação com pessoas, a pressão pode dar espaço para um looping de preocupações e, assim, resultar em crises de ansiedade. 

Para não deixar que isso aconteça, há algumas dicas valiosas de práticas capazes de amenizar os impactos da ansiedade. Nós as reunimos abaixo e aconselhamos que você as compartilhe com o seu time. 💚

💪 Exercite-se.

🎼Crie uma playlist com músicas que te despertem sensações.

💕 Ligue ou envie uma mensagem para pessoas que você ama.

🗣 Comunique-se.

📖 Leia um livro que te inspire.

📺 Maratone uma série.

LGPD adiada para 2021

Senado Federal aprova a vigência legal da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais

Inicialmente, a lei estava marcada para entrar em vigor a partir de agosto de 2020. Contudo, devido à Medida Provisória n.º 959, poderia ter o seu início adiado para 3 de maio de 2021.

A MP, publicada na edição extra do Diário Oficial da União, foi assinada pelo presidente Jair Bolsonaro e aborda informações relacionadas ao auxílio emergencial disponibilizado pelo governo em virtude da pandemia causada pelo novo coronavírus.

Para que tivesse força de lei, a MP deveria ser confirmada em votação pelas casas legislativas. Assim, contrariando a vontade da Câmara dos Deputados que optou pelo adiamento da vigência para o dia 31/12/2020, o Senado Federal aprovou no dia 26/08/2020 a vigência legal.

Contudo, ainda há algumas incertezas, como em relação ao dia exato que as disposições da LGPD estarão valendo e quanto à ANPD (agência reguladora que fará a regulação e fiscalização do cumprimento da lei), que ainda é inexistente.

É importante lembrar que, apesar da vigência dos dispositivos, a aplicação das penalidades só poderá ser feita a partir de agosto de 2021.

Dica de leitura: LGPD na educação: entenda o que muda no dia a dia das IEs.

Entenda como a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais afetará o dia a dia das instituições de ensino e a forma como captam, armazenam e utilizam dados de seus potenciais e atuais alunos, tanto no meio on-line quanto off-line. 

Unesco divulga 10 recomendações para o ensino a distância

Em meio ao cenário caótico causado pela pandemia, os impactos na educação foram sentidos e a necessidade de criação de medidas para adequação fez-se extremamente essencial. Objetivando ajudar nesse desafio, a Unesco (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura) divulgou uma lista com 10 recomendações para planejar soluções de ensino a distância para que as instituições de ensino consigam atender o maior número possível de alunos.

“O fechamento de escolas em um número crescente de países para conter a disseminação da COVID-19 está prejudicando a educação de milhões de alunos em todo o mundo. A UNESCO está compartilhando 10 recomendações para garantir que o aprendizado permaneça ininterrupto durante este período” escreveu a Organização das Nações Unidas.

Dentre as recomendações estão a inclusão de programas de EAD, a priorização de soluções para enfrentar os desafios psicossociais e o suporte a professores e pais no uso de ferramentas digitais. 

Em outro conteúdo disponibilizado (Educação: da interrupção à recuperação), a UNESCO ressalta que apoia o fechamento das instituições de ensino até o controle da pandemia:

“A UNESCO está apoiando os países em seus esforços para mitigar o impacto imediato do fechamento de escolas, especialmente para as comunidades mais vulneráveis ​​e desfavorecidas, e para facilitar a continuidade da educação para todos por meio da aprendizagem remota” escreveu.

Enade 2020 é adiado devido à pandemia do novo coronavírus

As mudanças no calendário das instituições de ensino superior, provocadas pela atual pandemia, fizeram com que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) alterasse as provas do Enade que aconteceriam no dia 22 de novembro para 2021, ainda com data indefinida.⠀⠀⠀⠀⠀⠀

O Enade 2020 seria aplicado para estudantes de cursos vinculados a 30 áreas que compõem o Ano II do Ciclo Avaliativo do exame, que tem foco nos bacharelados e licenciaturas de ciências exatas, ciências tecnológicas e áreas afins.⠀⠀⠀

Confira alguns pontos nos quais você deve se atentar, em suas ações de Marketing e discurso de condução, perante essa mudança:⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

📌 Agora é necessário utilizar o IGC (Índice Geral de Cursos) e o CPC (Conceito Preliminar de Curso), de anos anteriores, para atrair alunos em sua campanha de captação de 2021/1.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

📌 Por ser um diferencial para garantir a permanência de alunos indecisos com o momento atual, utilize a nota já existente, dessa forma a IE mostrará a qualidade dos seus cursos.

Além disso, separamos algumas dicas para você se diferenciar nesse momento, confira-as:

TÁ TUDO AQUI ->

Boletim informativo para IEs - Rubeus

Devido à pandemia, meta para matrículas no ensino superior deve ser atingida somente em 2041

O Plano Nacional de Educação (PNE) prevê que cerca de 33% dos brasileiros, com idade entre 18 e 24 anos, estarão matriculados no ensino superior até 2024. Contudo, devido a diversos fatores, dentre eles a pandemia, esse percentual deverá ser alcançado em, pelo menos, 17 anos após o previamente definido.

A responsável por essa análise e projeção foi a Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior (ABMES), sendo realizada com base no ritmo de crescimento das matrículas até o ano de 2018 (disponibilizado pelo Censo da Educação Superior) e o crescimento da população na faixa etária específica analisada (disponibilizado pelo IBGE).

Vale lembrar que, ao todo, as instituições de ensino privadas representam cerca de 73,7% das matrículas no ensino superior, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) de 2019 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Ainda de acordo com Sólon Caldas, diretor-executivo da ABMES, o resultado desse atraso será um “apagão” na mão de obra qualificada em cinco anos, que é o período médio de duração de uma graduação.

Boletim informativo para IEs - Rubeus

Medida Provisória que desobriga IEs a cumprir a quantidade de dias letivos em 2020 é aprovada

A regra geral, estabelecida pelo Ministério da Educação, demanda o mínimo de 200 dias letivos para a educação básica (ensino infantil, fundamental e médio) e também para as instituições de ensino superior.

Contudo, em sessão remota realizada na quinta-feira (23), o Senado aprovou o Projeto de Lei de Conversão (PLV) 22/2020, que objetiva desobrigar escolas e universidades a cumprir a quantidade mínima de dias letivos em 2020. A medida teve como base a pandemia ocasionada pelo coronavírus e seus impactos causados na educação.  

A MP foi aprovada com um total de 73 votos a zero e será encaminhada à sanção do presidente, que poderá realizar alterações.

Além disso, a MP visa também a redução, por tempo limitado, da duração de cursos voltados para a área da saúde, devendo a carga horária ser cumprida ou compensada em 2021.

Boletim informativo para IEs - Rubeus

Com inscrições adiadas para o Fies 2020/2, Ministério da Educação divulga novas datas

O MEC (Ministério da Educação) optou pelo adiamento do início das inscrições do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), referente ao segundo semestre deste ano, devido às inconsistências identificadas no processamento de distribuição das vagas disponibilizadas pelas instituições de ensino superior.

O comunicado foi realizado por meio das redes sociais do órgão:

“O Ministério da Educação informa que a abertura do período de inscrições para o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) foi adiada. Em breve será divulgado o novo cronograma do Fies para o segundo semestre de 2020”, afirmou o comunicado.

Primeiramente definida para ter início no dia 21, as inscrições aconteceriam até sexta-feira, dia 24 deste mês. Já de acordo com o novo calendário divulgado pelo MEC, as datas são de 28 a 31 de julho 2020.

Ensino híbrido em IEs: pandemia pode revolucionar a forma tradicional de ensino - Rubeus

Ensino híbrido em IEs: pandemia pode revolucionar a forma tradicional de ensino

Devido ao isolamento social desencadeado pela covid-19, que fez as portas das instituições de ensino fecharem em todo o mundo, o ensino híbrido ganha enorme força.

Nesse modelo de ensino, a ideia é que educadores e estudantes possam ensinar e aprender em tempos e locais variados. 

Principalmente no ensino superior, essa realidade está atrelada a uma metodologia de ensino a distância (EAD), em que o ensino presencial se mistura com o ensino a distância e, em alguns casos, algumas disciplinas são ministradas na forma presencial e, outras, apenas a distância.

De acordo com o relatório Three ways the coronavirus pandemic could reshape education (Três formas que a pandemia do coronavírus pode remodelar a educação), conduzido pelo Fórum Econômico Mundial, a pandemia do novo coronavírus mudou a forma como milhões de pessoas em todo o mundo são educadas.

Nesse sentido, a agilidade faz toda a diferença, uma vez que, o quanto antes for detectada uma necessidade de adaptação, mais rapidamente a instituição de ensino pode agir, minimizando, dessa forma, os seus potenciais impactos negativos.

Censo da Educação Superior: início do período de validação de dados - Rubeus

Censo da Educação Superior: início do período de validação de dados

O Censo da Educação Superior (CenSup) é um grande instrumento de pesquisa nacional sobre instituições de educação superior (IES) que ofertam cursos de graduação e sequenciais de formação específica.

De acordo com as datas previstas na portaria Nº 319, publicada no Diário Oficial da União (DOU), o prazo para envio de dados referentes a 2019 terminou no dia 5/6. A partir do dia 8/6 foi aberto o período para verificação e validação dos dados enviados pelos representantes legais das IES, tendo o seu término previsto para o dia 26/6.

Realizado anualmente pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), o Censo da Educação Superior configura-se como o instrumento de pesquisa mais completo do Brasil, no âmbito educacional.

Para saber mais informações e ter acesso ao calendário completo com todas as datas, acesse nosso blog post específico sobre o assunto.

Ministério da Educação autoriza aulas remotas até 31/12/2020 - Rubeus

Ministério da Educação autoriza aulas remotas até 31/12/2020

O Ministério da Educação (MEC), em portaria publicada no Diário Oficial da União (DOU) no dia 17/6, autorizou a prorrogação das aulas remotas pelas instituições de ensino superior até 31 de dezembro deste ano.

A portaria Nº 544 “Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais, enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus – Covid-19 […]”.

Ainda de acordo com a portaria, as instituições de educação terão a responsabilidade de definir quais componentes curriculares serão substituídos, além de disponibilizar os recursos necessários para o acompanhamento das atividades letivas ofertadas, e os critérios que serão utilizados para a realização de avaliações.

Senado aprova projeto de ajuda financeira às instituições de ensino privadas

Senado aprova projeto de ajuda financeira às instituições de ensino privadas

O Senado aprovou, no dia 20 (quarta-feira), um projeto de lei que visa a criação do Certificado de Recebíveis Educacionais (CRE). O objetivo é auxiliar as instituições privadas na crise gerada pelo novo coronavírus.

De forma simples, o Certificado de Recebíveis Educacionais consiste em títulos de crédito nominativos, escriturais e transferíveis. Esse tipo de transação já é utilizado em setores como o imobiliário e o de agronegócio. O que acontece, na prática, é que uma companhia securitizadora adquire um título e o emissor desse título, nesse caso, as instituições de ensino, recebe dinheiro por isso.

Vale lembrar que, com a suspensão das aulas, diversas instituições de ensino privadas passam por dificuldades, uma vez que muitas optaram por reduzir o valor de suas mensalidades, como medida de combate à evasão de alunos.

Por unanimidade, o Senado aprovou o projeto que agora segue para a Câmara dos Deputados.

>>>Saiba mais clicando AQUI.

LGPD adiada para 2021

Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais é adiada novamente, agora para 2021

A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), sancionada em 14 de agosto de 2018 pelo então presidente Michel Temer, foi novamente adiada.

Inicialmente, a lei estava marcada para entrar em vigor a partir de agosto de 2020. Contudo, devido a uma medida provisória, teve seu início adiado para 3 de maio de 2021.

A medida provisória 959, publicada na edição extra do Diário Oficial da União, foi assinada pelo presidente Jair Bolsonaro e aborda informações relacionadas ao auxílio emergencial disponibilizado pelo governo em virtude da pandemia desencadeada pelo novo coronavírus. Em um de seus parágrafos, a medida trata, especificamente, sobre a mudança do prazo inicial para a vigência da lei.

Vale lembrar que essa não é a primeira vez que a LGPD é postergada. Desde que foi sancionada em 2018, ela vem sofrendo adiamentos. Em 2020 mesmo, havia sido agendada para fevereiro, sendo, posteriormente, transferida para agosto.

>>> Para conferir o que muda no dia a dia das IEs, acesse este conteúdo!

Ministério da Educação anuncia adiamento do ENEM 2020

Ministério da Educação anuncia adiamento do ENEM 2020

A realização do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2020 foi um dos assuntos mais repercutidos no país nos últimos dias.

Tendo em vista os impactos gerados pela atual pandemia e a suspensão das aulas por tempo indeterminado, muitas pessoas posicionaram-se contra a realização do exame nas datas antes definidas.

Após algum tempo de pressão, o MEC (Ministério da Educação) e o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) anunciaram, no último dia 20, que o Enem deste ano será adiado por 30 a 60 dias.

Além disso, as inscrições, que terminariam no dia 22 (sexta-feira), foram prorrogadas para o dia 27/5 (quarta-feira).

>>> Saiba mais clicando AQUI.

Boletim informativo para IEs - Rubeus

MEC apoia a formação continuada de professores

Tendo em vista os impactos gerados pela atual pandemia e a suspensão das aulas por tempo indeterminado, o Ministério da Educação (MEC) optou por ofertar 13 cursos na modalidade a distância com o objetivo de contribuir para a formação continuada de professores.

Os cursos são gratuitos, com o tema voltado para a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Para desfrutar dos cursos, o interessado deve possuir vínculo na comunidade educacional.

Para efetuar a matrícula, basta realizar o cadastro no Ambiente Virtual de Aprendizagem do MEC (Avamec) e seguir as orientações.

>>> Saiba mais informações, clicando AQUI.

Boetim informativo para IEs - Rubeus

Com nova funcionalidade, LinkedIn escolhe o Brasil para testes

“Com o LinkedIn Stories, todos os usuários brasileiros terão a opção de nutrir suas redes de conexões e de seguidores de uma maneira descontraída e casual. Influencers poderão compartilhar insights sobre seus negócios, especialistas irão capturar e compartilhar as tendências em seus setores de atuação” escreveu Rafael Kato, managing news editor do LinkedIn.

LinkedIn Stories

O Brasil foi escolhido para realizar os testes devido à quantidade de usuários que fazem do país o 4º maior mercado da rede social, com um total de 40 milhões de usuários. 

Além disso, testar o LinkedIn Stories primeiro no Brasil é importante pela nossa famosa criatividade e forte sentimento de comunidade.

>>> Para conferir o comunicado na íntegra, clique AQUI

Boletim informativo para instituições de ensino - Rubeus

Em tempos de isolamento social, lives viram febre e estreitam o relacionamento com os alunos

Devido ao isolamento social causado pela covid-19, muitas pessoas e empresas encontraram nas lives uma forma de diminuir o distanciamento e manterem-se competitivas no mercado.

Iniciadas por cantores, as lives agora “viraram febre” também entre empresas dos mais diversos ramos de atuação.

Elas podem ser realizadas pelo Instagram e, posteriormente, baixadas e disponibilizadas em plataformas de vídeo, como o YouTube. Além disso, durante a transmissão ao vivo, os telespectadores podem enviar perguntas e realizar comentários.

As instituições de ensino também têm recorrido às lives para manter o relacionamento próximo com potenciais e atuais alunos, além de tirar dúvidas e mantê-los atualizados.

Nós, da Rubeus, também enxergamos nas lives uma forma de manter-se próximo aos nossos parceiros e contribuir com dicas práticas para enfrentar esse momento.

>>>  Para conferi-las, clique AQUI!

WhatsApp - Boletim informativo Rubeus

Como o WhatsApp facilita o dia a dia das instituições de ensino em todo o mundo

O famoso “vem de zap” definitivamente impacta muitos usuários atualmente. Correspondendo a cerca de 25% da população mundial, o aplicativo de mensagens instantâneas conquistou, só na Índia, cerca de 400 milhões de usuários (o maior mercado atualmente).

>>> Para saber mais detalhes, clique AQUI!

Pela facilidade do envio de mensagens, as instituições de ensino têm aproveitado o potencial dessa ferramenta com o objetivo de manter um relacionamento interpessoal e saudável com os interessados e candidatos.

E é claro que a Rubeus não ficaria de fora dessa! Agora nossos clientes conseguem enviar mensagens automáticas na Plataforma Rubeus através do Aplicativo WhatsApp integrado. 

>>> Para saber mais detalhes, clique AQUI!

Coronavírus na educação - Boletim informativo Rubeus

Os impactos do Coronavírus na educação: o que muda no dia a dia das IEs

A pandemia causada pelo novo Coronavírus está impactando as instituições de ensino de todos os portes. Diversos países declararam a suspensão das aulas de escolas e faculdades como forma de frear o avanço do vírus. Com isso, estamos diante de um cenário nunca vivenciado anteriormente na educação.

Mas não é só isso, a covid-19 afetou também a realização de diversos eventos em todo o mundo, dentre eles o Geduc 2020, o maior e o principal Congresso de Gestão Educacional, que seria realizado de 25 a 27 de março em São Paulo.

Perante esse cenário, muitas instituições de ensino estão adotando o home office. Para ajudá-las nesse processo de adaptação, preparamos um blog post com várias dicas para você.

>>> Para conferi-lo na íntegra, clique AQUI!

CenSup 2018 - Boletim informativo Rubeus

CenSup disponibiliza dados de 2018 e inicia balanço referente ao ano 2019

O Censo da Educação Superior é um grande instrumento de pesquisa nacional sobre instituições de educação superior (IES) que ofertam cursos de graduação e sequenciais de formação específica.

Seu principal objetivo é oferecer à comunidade acadêmica e à sociedade em geral informações detalhadas sobre a situação e as grandes tendências do setor educacional. O balanço do ano de 2018 revelou alguns pontos de atenção, dentre eles está:

– Realizando uma análise sob a ótica das instituições de ensino privadas, percebe-se que a taxa de desistência cresceu de 56,8 em 2015 para 59,9 em 2016. Além disso, a taxa de permanência variou negativamente de 8,6 em 2015 para apenas 3,7 em 2016.

>>> Para conferir o balanço na íntegra, clique AQUI!

ENEM 2019

Enem 2019 bate recorde e é a edição com maior índice de presença da história

De acordo com dados apresentados pelo Inep, o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2019 contou com o maior índice de presença da história.

Já no primeiro dia (3 de novembro), o índice de presentes foi de 76,9%. Anteriormente, o maior resultado havia sido na edição de 2018 – o qual alcançou um total de 75,24%. 

O segundo dia de prova (10 de novembro) reuniu um total de 72,9%, superando a edição de 2015 que apresentou 72,67% de presentes. 

No total, dos 5,1 milhões inscritos, 3,7 milhões compareceram. 

>>> Confira o balanço completo, clicando AQUI! 

 

 

SISU 2020

Sisu 2020 tem mais de 1 milhão de inscritos após instabilidade no sistema

As inscrições para o SISU (Sistema de Seleção Unificada) iniciaram no dia 21 de janeiro (terça-feira) e, de acordo com o Ministério da Educação, os candidatos enfrentaram lentidão para realização das inscrições no primeiro dia.  

Segundo a assessoria de imprensa do MEC, a “Instabilidade ocorreu devido ao grande número de acessos”. 

Em seu perfil na rede social, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, justificou a dificuldade de acesso enfrentada pelos candidatos ao longo do primeiro dia: “Houve uma demanda muito acima do que era prevista, do que era do (ano) passado. Já trabalhávamos com um incremento na demanda, mas não tão grande”, anunciou. 

Segundo o MEC, o acesso ao sistema foi restabelecido às 12h.

Devido à lentidão reportada, o período de inscrição foi prorrogado até o dia 26 (domingo).

>>> Para ver o vídeo na íntegra, clique AQUI! 

LGPD na educação

LGPD: entenda como a lei de proteção de dados afeta o dia a dia das instituições de ensino

A Lei Geral de Proteção de Dados conhecida como LGPD está prevista para entrar em vigor a partir de agosto de 2020. 

A lei possui o objetivo de aumentar a proteção e a privacidade de dados pessoais, bem como proporcionar maior fiscalização por parte dos órgãos responsáveis sobre as organizações que lidam com dados. 

Para as instituições de ensino, os cuidados envolvem questões como:

  • Para o caso de crianças, menores de 12 anos, a lei prevê que o tratamento de dados deve ser realizado com o consentimento de, pelo menos, um dos pais ou do responsável legal.
  • Em casos de prestação do serviço, é necessária a definição de quais dados são essenciais e quais são complementares. 
  • Avaliação de como cada categoria de dado será utilizada tendo em vista o embasamento legal para sua coleta e retenção. 

>>> Para mais informações, clique AQUI!