O INEP

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) é uma autarquia federal diretamente ligada ao Ministério da Educação (MEC).

Sua missão é auxiliar a formulação de políticas educacionais em seus diferentes níveis e contribuir, assim, para o desenvolvimento econômico e social do país.

Esses diferentes níveis são as grandes áreas que o INEP atua. São elas: Avaliações, exames e indicadores da educação básica e superior ações internacionais, biblioteca e arquivo da educação, estatísticas educacionais e publicações.

Hoje, trataremos de algumas dessas Avaliações, Exames e Indicadores da Educação Superior gerenciadas pelo INEP. 

 

Avaliações, Exames e Indicadores da Educação Superior

É importante que sua instituição de ensino conheça todas as modalidades de Avaliações, Exames e Indicadores da Educação Superior existentes. Visto que elas são capazes de influenciar diretamente à atuação da sua IES.

Por isso elencamos abaixo aquelas que sua instituição deve conhecer de forma detalhada.

 

  • Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes)

O Sinaes é um processo de avaliação, que tem como objetivo fornecer uma análise das Instituições de Educação Superior (IES), dos cursos de graduação e até mesmo do desempenho dos estudantes.

Logo, essa avaliação busca melhorar a qualidade do ensino superior e orientar a expansão da oferta, além de promover a responsabilidade social das IES, respeitando a identidade institucional e a autonomia de cada organização.

A autoavaliação, avaliação externa, Enade, avaliação dos cursos de graduação e instrumentos de informação como o censo e o cadastro, são mecanismos complementares do Sinaes.

A integração dessas metodologias permite que sejam atribuídos alguns conceitos, ordenados numa escala de cinco níveis, a cada uma das dimensões e ao conjunto das dimensões avaliadas.

O Ministério da Educação disponibiliza publicamente o resultado da avaliação das instituições de ensino superior e de seus cursos.

 

  • Indicadores de Qualidade da Educação Superior

Os indicadores são importantes instrumentos de avaliação da educação superior do país. Eles são expressos em escala contínua e em cinco níveis. A qualidade satisfatória é indicada pela obtenção de níveis iguais ou superiores a três.

Os indicadores de qualidade subdividem-se em quatro:

 

– Conceito Enade (CE)

Mais conhecido como Enade, esse indicador avalia os cursos por intermédio do desempenho dos estudantes, por meio da aplicação de uma avaliação.

A exigência mínima para a sua realização é que os cursos tenham pelo menos dois estudantes concluintes participantes do Exame. O Conceito Enade mantém relação direta com o Ciclo Avaliativo do Enade.

Definido na Portaria nº 40/2007, o Ciclo Avaliativo do Enade, compreende a avaliação periódica dos cursos de graduação, com referência nos resultados trienais de desempenho de estudantes. As áreas e eixos tecnológicos de cada ano do ciclo são:

Áreas – Bacharelados e Licenciaturas

  • Ano I – Saúde, Ciências Agrárias e áreas afins (Ex.: 2016);
  • Ano II – Ciências Exatas, Licenciaturas e áreas afins (Ex.: 2017);
  • Ano III – Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Humanas e áreas afins (Ex.: 2018).

Eixos Tecnológicos

  • Ano I –  Ambiente e Saúde, Produção Alimentícia, Recursos Naturais, Militar e Segurança (Ex.: 2016);
  • Ano II – Controle e Processos Industriais, Informação e Comunicação, Infraestrutura, Produção Industrial (Ex.: 2017);
  • Ano III  – Gestão e Negócios, Apoio Escolar, Hospitalidade e Lazer, Produção Cultural e Design (Ex.: 2018).
Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD)

O IDD consegue aferir o valor que o curso e a instituição de ensino agregaram à formação do estudante concluinte.

Para isso, ele leva em consideração o desempenho dos universitários no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) e suas características de desenvolvimento ao ingressar no curso de graduação avaliado por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Desde 2014, o IDD é calculado individualmente, comparando o desempenho de um mesmo estudante no início e no final do curso.

Conceito Preliminar de Cursos (CPC)

Instituído pela Portaria nº 4/2008, esse indicador avalia os cursos de graduação. É realizado um ano após a realização do Enade. Conforme orientação da Comissão Nacional da Educação Superior (Conaes), para ser calculado leva em consideração quatro elementos:

  • Avaliação de desempenho dos estudantes;
  • Valor agregado pelo processo formativo oferecido pelo curso;
  • Corpo docente;
  • Condições oferecidas para o desenvolvimento do processo formativo.
Índice Geral de Cursos (IGC)

O Índice Geral de Cursos (IGC), criado pela Portaria nº 12/2008 é um indicador que expressa a qualidade dos possíveis cursos existentes nas Instituições de Ensino Superior (IES). É realizado anualmente e leva em conta os seguintes aspectos:

  • Média dos CPCs do último triênio, relativos aos cursos avaliados da instituição;
  • Média dos conceitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu atribuídos pela CAPES na última avaliação trienal disponível;
  • Distribuição dos estudantes entre os diferentes níveis de ensino, graduação ou pós-graduação stricto sensu.

O IGC considera o CPC dos cursos avaliados no ano do cálculo e nos dois anos anteriores. Logo, é realizado por triênio, compreendendo todas as áreas do Ciclo Avaliativo do Enade.

 

Importância das Avaliações, Exames e Indicadores da Educação Superior

Por meio dos resultados destas avaliações promovidas pelo INEP é possível traçar um panorama da qualidade dos cursos e instituições de ensino superior do país.

Além disso, as informações obtidas são utilizadas pelas instituições a fim de orientar e otimizar sua atuação acadêmica e social.

Logo, a análise das Avaliações, Exames e Indicadores da Educação Superior de todas as IES, incluindo a sua, contribuem para o entendimento do cenário educacional. Isso porque, fornecem dados e estatísticas fundamentais para o planejamento e elaboração de estratégias da sua instituição.

Não é novidade que estruturar e conhecer detalhadamente sua organização e o cenário em que ela está inserida é fundamental para melhoria dos seus índices.

Pensando nisso, a Rubeus preparou um diagnóstico institucional do seu processo de captação de alunos, com análises dos números dos seus últimos processos seletivos em comparação com a média do mercado, suas taxas de conversão, marketshare e outras informações estratégicas.

 

FIQUE ATUALIZADO!
Insira aqui seu e-mail para receber gratuitamente as atualizações do blog!